Skip to content

Autoridades sanitárias das Américas iniciaram reunião para discutir estratégias de saúde para a região

Washington, DC, 26 de setembro de 2011 (OPAS/OMS)-Autoridades sanitárias de todas as Américas inauguraram hoje o 51º Conselho Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) com elogios à gestão da organização durante estes anos e referências aos desafios que enfrenta nas diferentes áreas da saúde.

Ao abrir a reunião, a Diretora da OPAS, doutora Mirta Roses, se referiu às ações pendentes para a região e como o Conselho Diretor é uma ocasião para “corrigir o rumo” porque “somente assim atingiremos os benefícios palpáveis para a saúde de nossos povos”. Falou também das estratégias e planos de ação que se avaliarão na região. Acrescentou que serão abordados os desafios para alcançar as metas dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM), assim como os compromissos acordados na Reunião de Alto Nível das Nações Unidas sobre as doenças não-transmissíveis.

Para responder a todos os desafios é preciso uma ação focada nos determinantes de saúde e no constante processo de inovação, disse a Doutora Mirta Roses. Neste sentido, destacou que a consulta de reforma da OMS e o Plano de Ação em Saúde (eHealth) são “aspectos fundamentais”.

“Esta capacidade de nos repensar, de utilizar as lições aprendidas para responder a novos desafios, de antecipar as respostas, de trabalhar incansavelmente para reduzir as brechas, de construir constantemente sobre as conquistas e lutar para sustentá-las, assim como a audácia de imaginar e antecipar, em certa medida o futuro, tem sido uma característica decisiva de ação em nossa organização”, concluiu.

Por sua vez, a Diretora Geral da OMS, Margaret Chan, manifestou sua solidariedade à Região pela reconstrução do Haiti, mas destacou que “a contínua ameaça da cólera traz urgência a esta tarefa”. Destacou as Américas como uma região que avança em abordar suas inequidades e por seu compromisso com a atenção primária.

A Doutora Margaret Chan também destacou os esforços da região em aplicar medidas de controle ao tabagismo. Considerou que “suportar a carga financeira comercial é difícil para qualquer país, mas sobre tudo para um país pequeno como o Uruguai”. Pediu aos países “que não se rendam” porque “se um país cede a estas táticas de medo, os demais também cairão como um efeito dominó”.

Neste sentido, a Secretária de Saúde dos Estados Unidos, Kathleen Sebelius, agradeceu ao Uruguai por somar-se aos esforços de promover ambientes livres do fumo e por incentivar que outros países façam o mesmo, ao referir-se, entre outros pontos, ao discutido na semana anterior em Nova York, durante a Reunião de Alto Nível das Nações Unidas sobre Doenças não-transmissíveis. Afirmou que os Estados Unidos está comprometido em aprender a partir das experiências da região e do mundo e reforçou o trabalho em conjunto. “A menos que façamos um melhor trabalho prevenindo e tratando as doenças crônicas, o custo seguirá aumentando para todos”, sustentou.

KathleenSebelius também elogiou o trabalho da OPAS como força por trás de vários êxitos em matéria de saúde pública na região, assim como uma plataforma de trabalho conjunto com outros países das Américas para enfrentar desafios diversos em área de saúde.

O Secretário de Saúde do México, Salomón Chertorivski Woldenberg, país que ocupou a Presidência do Conselho Diretor até hoje, também destacou a reunião sobre Doenças não transmissíveis, reconhecendo a iniciativa dos países do Caribe e ressaltando que na região há “a unidade necessária para que, por meio de uma ação coletiva internacional” se enfrente este tema.

“As condições de restrição financeira para o avanço da saúde pública da região nos demanda seguir trabalhando em estratégias inovadoras, efetivas e sustentáveis, investindo mais em programas de prevenção de doenças e na promoção da saúde, fazendo uso das lições aprendidas e das intervenções exitosas”, disse o Secretário de Saúde. Destacou também a implementação do Regulamento Sanitário Internacional, assim como a “importância da comunicação e da ação concentrada entre os países para proteger a saúde pública mundial”.

O Secretário Geral Adjunto da Organização dos Estados Americanos (OEA), Albert Ramdin, destacou como a OPAS e a OEA trabalham em conjunto para vincular a agenda de saúde e a agenda política, de maneira a colocar em prática políticas conjuntas para a região. Democracia e desenvolvimento não somente são interdependentes, mas sobre tudo reforçam uma à outra, disse Albert Ramdin, e enfatizou o papel das políticas sanitárias nesse contexto. Também destacou a Reunião de Alto Nível das Nações Unidas sobre Doenças não-transmissíveis e enfatizou que para além da declaração, se deveriam adotar ações determinantes.

Além de ressaltar o papel da OPAS em comprometer a diversos setores para promover e melhorar a saúde das Américas, a Gerente do Setor Social do Banco Inter-Americano de Desenvolvimento (BID), Kei Kawabata, destacou a importância de se ter levado o tema como as doenças não-transmissíveis às Nações Unidas e ter conquistado uma declaração política.

“Temos agora uma meta a alcançar que esta declaração se traduza em propostas e ações concretas e efetivas para alcançar um melhor estado de saúde para a população da região”, indicou. Kei Kawabata citou a criatividade para encontrar soluções e disse que o BID considera fundamental continuar seu trabalho conjunto com a OPAS para respaldar os países na implementação de políticas efetivas. Reforçou que a saúde é uma das sete esferas prioritárias de ação do BID e que o objetivo é durante a próxima década multiplicar na região indicadores favoráveis de saúde.

As autoridades sanitárias da região estarão reunidas até o dia 30 de setembro (próxima sexta-feira) para debater temas, como por exemplo:

- Estratégia e plano de ação sobre Saúde Urbana

- Estratégia e plano de ação e-Health

- Plano de ação para reduzir a mortalidade materna

- Plano de ação sobre epilepsia

- Estratégia e plano de ação sobre Mudanças Climáticas

- Plano de ação em Segurança no Trânsito

- Plano de ação para reduzir o uso nocivo de álcool

- Estratégia e plano de ação em malária

- Relatório sobre a Reunião de Alto Nível das Nações Unidas sobre as Doenças não-transmissíveis

O Conselho Diretor se reúne uma vez ao ano, naqueles em que não se celebra a Conferência Sanitária Pan-Americana (autoridade máxima da OMS nesta região).

Paralelamente à reunião, acontecerão diversas atividades, entre elas, no dia 27 de setembro, um painel de especialistas composto, entre outros, pela S.A.R. Infanta Cristina, Michelle Bachelet, Diretora da ONU-Mulher, e Margaret Chan, Diretora da OMS, quando se discutirá sobre maternidade segura e saúde reprodutiva. Além disso, se comemorará os 25 anos do Programa de Saúde Internacional da OPAS e se lançará o suplemento sobre Eliminação da Rubéola e da Síndrome de Rubéola Congênita, entre outras atividades.

Links de interesse

OPAS: www.paho.org  

Convidamos a todos para nos visitar e inscrever-se:

BLOG: Cobertura instantânea do 51º Conselho Diretor da OPAS: www.paho.org/cd51

TRANSMISSÃO:  Algumas sessões serão transmitidas ao vivo em:  www.livestream.com/paho

CONTATOS: Leticia Linn Tel +1 202 974 3440, celular +1 202 701 4005, Esta dirección electrónica esta protegida contra spambots. Es necesario activar Javascript para visualizarla ;  Donna Eberwine-Villagrán Tel +1 202 974 3122, celular +1 202 316 5469, Esta dirección electrónica esta protegida contra spambots. Es necesario activar Javascript para visualizarla , Gestão do Conhecimento e Comunicações OPAS/OMS – www.paho.org

www.paho.org

www.facebook.com/PAHOWHO

www.youtube.com/pahopin

www.twitter.com/pahowho

www.twitter.com/opsoms

www.livestream.com/paho

www.picasaweb.google.com/pahopin

 

AddThis Social Bookmark Button