Skip to content

Dia Internacional da Mulher 2013 enfoca a igualdade de gêneros

Foto: Gustavo Raúl Amador - Exhibicion IMS Maternidad Segura en America Latina& el Caribe

Em 1975, a Organização das Nações Unidas (ONU) oficializou o dia 8 de março como o Dia Internacional da Mulher. A consagração da data é o reconhecimento de um longo processo de organização e conscientização das mulheres e de toda a da sociedade, na maior parte do mundo, e de sua luta em busca de equidade. O desenvolvimento econômico e social deve estar fundamentado no princípio da equidade entre os gêneros, tema oficial da celebração da data em 2013.

A saúde das mulheres e os riscos inerentes ao gênero continuam sendo importante preocupação das agencias internacionais de saúde. A saúde de mulheres e meninas é objeto de incertezas, inclusive porque em muitas sociedades elas se encontram em desvantagem devido à discriminação condicionada a fatores socioculturais. Pessoas do sexo feminino, por exemplo, são mais vulneráveis ao vírus da AIDS.

Um fator que contribui para esta desigualdade é que em muitas sociedades as mulheres tendem a ser menos escolarizadas e consequentemente tem menos oportunidades de trabalho. A pobreza e outros determinantes sociais são obstáculos à saúde de ambos os sexos, mas a particular vulnerabilidade das mulheres, também devido a funções domésticas pode predispô-las a um risco maior.

Contribuem para este cenário também a violência física, sexual e psicológica contra a mulher, bem como as deficiências de atenção exclusiva que devem receber devido às funções reprodutivas.

A equidade de gêneros constitui um preceito seguido pelas Organizações do Sistema das Nações Unidas. A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) cumpre a determinação da Assembleia Geral das Nações Unidas em seu quadro de colaboradores, atendendo a política de igualdade de gêneros, conforme apresentado na 28ª Conferencia Sanitária Pan-Americana, em setembro de 2012. Na Organização, desde 2005, ano em que a Politica em Matéria de Igualdade de Gênero foi aprovada, até 2011, houve um aumento de cerca de 50% no número de funcionárias em cargos fixos e temporários de nível profissional e superior. Na BIREME, 57% do quadro de colaboradores são do sexo feminino.

A OPAS promove capacitações presenciais e a distancia sobre a temática de Gênero e Saúde em seus escritórios regionais, representações e centros especializados. A OPAS vem atendendo à política de igualdade de gêneros também no que tange às suas publicações técnicas, desmembrando os dados por sexo. Como uma Organização voltada à saúde, os informes apresentam informações sobre saúde nos 36 países membros separadas por gênero.

A BIREME promove instâncias temáticas da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) dedicada especificamente à saúde das mulheres e à igualdade de gêneros:

BVS Gênero e Saúde Regional 
BVS Gênero e Saúde da Nicarágua
-
 BVS Centro Latino Americano de Perinatologia, Saúde da Mulher e Reprodutiva 
BVS Aleitamento Materno

Além destas, as instâncias a seguir tratam de temas relacionados à saúde da mulher:

BVS Prevenção e Controle de Câncer
BVS Enfermagem

Consulte nas seleção de documentos sobre gênero e saúde na BVS

Seleção de documentos sobre Prevenção do câncer de mama e colo do útero na BVS

 

Links de interesse:

OPAS/OMS chama o setor da saúde para fortalecer suas respostas de atenção as mulheres sobreviventes da violência (OPAS, em espanhol)

Saiba mais sobre a política de igualdade de gêneros da OPAS

Gênero, Diversidade e Direitos Humanos (OPAS, em espanhol)

Site oficial International Women’s Day (em inglês)

Saúde da mulher (OMS, em espanhol)

Violência contra a mulher (OMS, em espanhol)

AddThis Social Bookmark Button