Skip to content

1º encontro dos Representantes da Organização Mundial de Saúde nos países BRICS

Imprimir E-mail

nullA Representação da OPAS/OMS no Brasil sediou o 1º encontro dos Representantes da Organização Mundial de Saúde (OMS) nos países BRICS (Brasil, Rússia, Índia, África do Sul e China) nos dias  24, 25 e 26 de agosto de 2011. O objetivo principal do encontro foi a construção de alianças estratégicas para fortalecer a cooperação técnica entre estes países, visando o cumprimento dos compromissos estabelecidos na "Declaração de Pequim".

Os países BRICS constituem um importante grupo econômico e político com similaridades de mercado e de desafios sociais,  representando uma parcela considerável da população mundial.

Segundo a Diretora-Geral da Organização Mundial da Saúde, Dra. Margaret Chan, este é um grupo de países que apresenta uma abordagem inovadora e revigorante com relação à saúde global. Assume um poder crescente com o aumento da sua influência diplomática e econômica e com seu grande potencial para mover a saúde pública global na direção certa.

Este ano, durante a Reunião de Cúpula dos BRICS, em Sanya (China), seus Chefes de Estado declararam a saúde como uma nova área de cooperação entre esses países, para enfrentarem desafios comparáveis em saúde pública, tais como o acesso desigual aos serviços de saúde e aos medicamentos, além dos custos crescentes da atenção em saúde.

Considerando a Declaração de Sanya, os Ministros da Saúde dos BRICS se reuniram, pela primeira vez, em Pequim, em julho passado, para discutir e coordenar posições relativas aos problemas de interesse comum, além de identificar áreas prioritárias de cooperação em saúde pública. Ao final da reunião foi emitida a Declaração de Pequim, documento onde os Ministros expressam seus objetivos de trabalho e de cooperação, comprometendo-se a somar esforços em benefício de seus países e da saúde global.

Dessa forma, a OMS organizou o I Encontro dos Representantes da OMS nos Países BRICS com o objetivo de intensificar a sua cooperação técnica OMS com estes países, para apoiar, de forma individual e coletiva, a implementação das decisões tomadas pelos Senhores Ministros da Saúde durante a reunião de Pequim, criar e reforçar a Rede dessas  Representações, com vistas ao aprimoramento e ao fortalecendo da cooperação Sul-Sul e Triangulada.

Inicialmente, os Representantes conheceram a estrutura, gestão, administração e os resultados do processo a cooperação técnica da OPAS/OMS no Brasil.

A seguir, tiveram a oportunidade de ouvir e dialogar com altas autoridades do Ministério da Saúde sobre o SUS, a cooperação internacional em saúde do Brasil e suas perspectivas.

O Dr. Paulo Buzz, Coordenador do Centro de Relações Internacionais em Saúde da Fundação Oswaldo Cruz, apresentou uma análise dos compromissos da Declaração de Pequim e suas implicações para a cooperação internacional entre países e seu impacto na Saúde Global.

O Embaixador Eduardo Barbosa, Assessor Especial do Ministro da Saúde para Assuntos Internacionais, apresentou um breve histórico da cooperação internacional desde a II Guerra Mundial, o surgimento do grupo BRICS, as características da cooperação técnica em saúde, a criação da ABC e a dimensão da cooperação em saúde, da cooperação Sul-Sul realizadas pelo Brasil. Informou sobre o interesse expressado pelo Ministro de Saúde da China pelo SUS, durante uma reunião com o Ministro Alexandre Padilha. Frisou a importância da Reforma da OMS e da reunião dos BRICS durante a Cúpula de Doenças Crônicas Não-Transmissíveis em Nova York e a grande expectativa da contribuição dos BRICS ao Sistema das Nações Unidas e ao multilateralismo.

Em representação do Ministro Alexandre Padilha, o Secretário de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos do Ministério da Saúde, Dr. Carlos Gadelha, que agradeceu a realização do Encontro, considerando-o como uma importante ação de cooperação técnica. Comentou que havia pertinência e simbolismo participar da reunião, porque relacionar o acesso à saúde com desenvolvimento tecnológico e inovação é uma equação, cuja solução sua Secretaria busca de forma cotidiana, pois o grande desafio do SUS é como relacionar a premissa de um sistema universal com o desenvolvimento e e de aumentar a consciência de que a saúde se insere no contexto da soberania. As respostas aos desafios do SUS passam pelo financiamento, uma intersetorialidade efetiva e a realização de parcerias público-privadas, que estão sendo enfrentados para cumprir com o único eixo de gestão proposto pelo Ministério da Saúde: garantir o acesso a serviços de saúde de qualidade para toda população brasileira.

Nos seguintes dois dias de reunião, os Representantes, juntamente com funcionários da Sede da OMS em Genebra, da OPAS em Washington e da Regional da OMS do Pacífico Ocidental discutiram sobre as possíveis linhas de cooperação com os BRICS, apresentando caminhos práticos para a implementação dos compromissos de Pequim e identificando as implicações para a Organização tanto em nível central, regional e de país.

Foram unânimes em recomendar que a colaboração da OMS nos países BRICS deve ser pautada no direito à saúde e nos princípios de equidade e solidariedade da Constituição da OMS, em consonância, também, com a Declaração de Paris.

Acesse a galeria de imagens do evento

Acesse a "Declaração de Pequim" (em inglês)

 


 

Última atualização em Qua, 31 de Agosto de 2011 16:05

Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 61 3251-9595