Skip to content

Programa de Cooperação Internacional em Saúde

Iniciativa da Guiana Francesa é vencedora do Prêmio Sérgio Arouca

A segunda edição do Prêmio Sérgio Arouca de Excelência em Saúde Pública teve como vencedor, o projeto “Gerenciamento Integrado do Programa de Doenças de Adultos e Adolescentes”, da Guiana Francesa. A iniciativa foi premiada por seus esforços nas melhorias do sistema de saúde do país, apesar dos escassos recursos disponíveis. Os objetivos do Projeto vencedor, incluem a proteção da população contra doenças, apresentar serviços de saúde de alta qualidade e melhorar o tratamento de doenças.  

Até agora, a iniciativa da Guiana já foi implementada em 246 estabelecimentos de saúde localizados em sete regiões do país. Além disso, cerca de 417 trabalhadores da saúde e 25 soropositivos já foram treinados dentro do Programa. 

A premiação ocorreu no dia 26 de setembro em Washington, nos Estados Unidos, durante o 51º Conselho Diretor da OPAS/OMS (51st PAHO Directing Council) junto com a entrega de outros prêmios ligados à OPAS/OMS e a Fundação Pan-Americana de Saúde e Educação (PAHEF). Para mais informações sobre os outros prêmios da PAHEF, clique aqui.

O Prêmio Sérgio Arouca é uma iniciativa do Ministério da Saúde do Brasil, com o apoio da OPAS/OMS pelo Programa de Cooperação Internacional em Saúde (TC 41). Na primeira edição do Prêmio, o projeto vencedor foi uma iniciativa da professora Maria Fátima de Sousa, da Universidade de Brasilia (UnB).

Memória

Sérgio Arouca foi um dos principais teóricos e líderes do chamado “movimento sanitarista”, que mudou o tratamento da questão da saúde pública no Brasil. A consagração do movimento veio com a Constituição de 1988, quando a saúde tornou-se um direito inalienável de todos os cidadãos, como está escrito na Carta Magna: a saúde é o dever de todos e o dever do Estado.

A tese de doutorado de Arouca, “O Dilema Preventivista: Contribuição para a Compreensão e Crítica da Medicina Preventiva”, forneceu fundamentos teóricos estruturantes para a constituição da base conceitual da saúde coletiva.

Militante da saúde, Sérgio Arouca foi fundador e colaborador ativo do Centro Brasileiro de Estudos da Saúde (CEBES) e da Associação Brasileira de Pós Graduação em Saúde Coletiva (ABRASCO), espaços onde foi concebido o Sistema Único de Saúde do Brasil.

Arouca teve também uma atuação internacional. Enquanto consultor da OPAS/OMS, contribuiu diretamente no planejamento do sistema público nacional de saúde da Nicarágua, além de participar de diversos outros projetos estratégicos da Organização, inclusive como seu consultor no México, Colômbia, Honduras, Costa Rica, Peru e Cuba.

Ao assumir a presidência da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ) possibilitou a revitalização e expansão da instituição nas áreas de ensino, pesquisa, produção e desenvolvimento de tecnologia da saúde ao tempo em que presidiu a 8ª Conferência Nacional de Saúde, que consolidou o Sistema Único de Saúde (SUS).

Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 61 3251-9595