Skip to content

Brasil e México apoiam o trabalho pela eliminação da hanseníase como problema de saúde pública em Cuba.

Imprimir E-mail

nullDurante 24-26 de Outubro foi realizada visita ao programa de Hanseníase de Cuba com o objetivo de validar a eliminação da hanseníase como problema de saúde pública no primeiro nível administrativo subnacional, sob o marco do cumprimento das metas establecidas na Resolução CD49/R19 do Conselho Diretor da OPAS (10/2009).

nullDesde 1993, Cuba eliminou a hanseníase como problema de saúde pública ao registrar prevalência pontual de 0,79 casos por 10.000 habitantes, pasando a focar as ações na eliminação ao primeiro nível subnacional. Em 2010, foram registrados 248 casos novos dos quais 3% eram em crianças menores de 15 anos e 6% tinham grau 2 de incapacidade. Um total de 282 casos estavam em tratamento a final de 2010.

nullAs Doutoras Eliane Ignotti (Brasil) e María Cristina Carreño (México), convidadas pelo Programa Regional das Américas e o Caribe para lepra, acompanharam à Dra Ximena Illarramendi, assessora do programa regional na visita técnica de observação do Programa Nacional de Hanseníase de Cuba.

Foi evidenciada prevalência  inferior a 1 caso por 10.000 habitantes en todas as províncias, confirmando a eliminação da hanseníase como problema de saúde pública nas 15 provincias cubanas. Ainda, constatou-se a eliminação da hanseníase na maioria dos municípíos do país, restando apenas 4 dos 282 municípios do país com prevalência acima de 1 caso por 10.000 habitantes.

nullEntre outras recomendações, sugiriu-se definir e fortalecer as ações nos municípios prioritários, e avaliar o uso de quimioprofilaxia em contatos intra e extradomiciliários de pacientes com hanseníase.

Última atualização em Seg, 07 de Novembro de 2011 13:12

Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 61 3251-9595