Skip to content

Celebração do Dia Mundial da Saúde

nullEm 04 de abril de 2012 foi comemorado na OPAS/OMS Brasil o Dia Mundial da Saúde. O tema deste ano foi "Envelhecimento Saudável e Saúde das pessoas idosas". A cerimônia contou com diversas autoridades, com a destaque para a presença do Ministro da Saúde, Alexandre Padilha, e do Dr. Joaquín Molina em seu primeiro ato como Representante da OPAS/OMS no Brasil.

Na ocasião foi assinado um termo de parceria entre as escolas privadas e Ministério da Saúde com o objetivo de aprimorar as boas práticas nas cantinas escolares. Certamente esta é uma medida importante para diminuir o crescimento da obesidade entre crianças no país.

No que diz respeito ao tema do dia mundial de saúde, este ano tem-se a oportunidade de reflexão sobre o envelhecimento populacional e sua relação com a saúde. A inclusão das pessoas idosas demanda uma sociedade que considere a criação e a melhoria de ambientes sociais, urbanísticos e ambientais que estejam de acordo com suas necessidades. Para tanto, é primordial que essas necessidades estejam incluídas no planejamento do desenvolvimento da sociedade; ao contrário, sua exclusão significaria uma violação importante dos direitos humanos desse grupo e também uma forma de perpetuar a iniqüidade e limitar seu desenvolvimento.

Este momento deve ser uma oportunidade para refletirmos sobre a importância de se construir um modelo de envelhecimento saudável, com foco no curso de vida, como observou a Diretora da OPAS, Mirta Roses, em sua mensagem para o Dia Mundial da Saúde: "Influem fatores desde antes do nascimento, e pode afetar até a própria descendência. É por isso que é essencial para adquirir novos conceitos e enfoques de direito, de desenvolvimento e de envelhecimento que determinem a prática da medicina e da saúde pública atual e futura".

O enfoque do curso da vida é mais uma aproximação à realidade que integra uma visão longitudinal sobre a vida e seu desenvolvimento. Configura um salto de um enfoque evolutivo a um enfoque inter-relacional, vinculando uma etapa com outra e definindo fatores protetores e de risco com ações futuras, no âmbito dos determinantes sociais.

Os benefícios ao grupo de idosos podem ser derivados de intervenções realizadas em uma idade mais jovem. Por isso, são necessárias intervenções em vários momentos ao longo da vida para que se consigam melhores resultados e efeitos cumulativos. Existem riscos e benefícios intergeracionais que sao essenciais na abordagem de riscos em todos os grupos de idade.

O curso de vida e único, contínuo e integrado, não sao etapas da vida desconectadas. Não é determinista, mas sim, transformador, e incorpora trajetórias interativas. O curso da vida promove desenvolvimento e direitos ao longo da vida, valorizando-a em cada idade.


 

Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 61 3251-9595