Home Página Principal Cooperação Internacional em Saúde no Congresso ABRASCO

Programa de Cooperação Internacional em Saúde



Cooperação Internacional em Saúde no Congresso ABRASCO

 Mesa sobre Cooperação Internacional em Saúde, dia 18 de novembro, pretende discutir a cooperação internacional em saúde a partir da apresentação de experiências práticas desenvolvidas com Instituições Nacionais, que servirão para impulsionar o debate sobre o papel do Estado Brasileiro, dos Organismos Internacionais e da Academia na realização do direito à saúde como direito de cidadania.

 

A mesa coordenada por Félix Rigoli da OPAS/OMS, trará os expositores:
Janete de Lima Castro da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo Aguilera da UFRJ e Clarice Ferraz da USP/ Ribeirão Preto.

Local: Reitoria da UFRGS - Sala 2 - 260 lugares

Data: 18 de Novembro

Horário: 09:45 - 11:15

Contexto

O tema da saúde tem estado cada vez mais presente na agenda política dos Estados, tanto pelo fato de ser um desafio global e comum aos governos nacionais – as doenças e as epidemias não respeitam fronteiras -, como pelo fato de o direito à saúde dos povos ser uma das conquistas mais significativas das democracias atuais.

A cooperação internacional em saúde, assim, é a expressão da solidariedade entre as nações, como parte de uma agenda eminentemente do “bem” nas relações internacionais, uma vez que evidencia a preocupação com a saúde de uma pretensa “comunidade global” e visa à melhoria dos índices socioeconômicos das nações. Segundo a Organização Mundial da Saúde (Resolução CE142.R14 da
OPAS), os Estados devem estreitar as relações de coordenação e intercâmbio entre as autoridades sanitárias, promover mecanismos institucionais de consulta entre o setor da saúde e das relações exteriores, fortalecer a função das autoridades sanitárias e fortalecer a capacidade institucional dos governos para a gestão da cooperação em saúde.

A cooperação entre o Brasil e os demais países em desenvolvimento, no âmbito da saúde baseia-se em alguns princípios norteadores da gestão da saúde pública brasileira: saúde como direito universal e dever do Estado; igualdade de atendimento, integralidade do serviço médico, universalidade da cobertura dos serviços de saúde pública, participação e controle social, gratuidade dos serviços disponibilizados, entre outros. Adicionalmente, deve-se mencionar os princípios que regem a cooperação brasileira em saúde: cooperação entre os povos para o progresso da humanidade, respeito à soberania nacional, à independência econômica, aos direitos iguais e à não-intervenção nos assuntos domésticos das nações, horizontalidade nas ações de cooperação, respeito à diversidade cultural e sustentabilidade das ações.

A cooperação técnica entre os países, um processo horizontal e recíproco no qual dois ou mais países trabalham em conjunto para a construção de capacidades individuais e coletivas através do intercâmbio de conhecimentos, habilidades, recursos e tecnologias, inclui mais de 200 projetos na saúde aprovados pela Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) desde 1998 em áreas tais como o controle de doenças, o manejo de riscos, a saúde ambiental, a saúde familiar e comunitária, os serviços de saúde, as emergências e desastres, e a ajuda humanitária.

 

 





Rede CADRHU/CIRHUS

 



 

Telessaúde

 

 


Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 61 3251-9595