Skip to content

Capacidades Humanas para a Saúde

Laboratório de Inovação acompanhará experiências sobre Gestão do Trabalho

O Laboratório de Inovação da Gestão do Trabalho reuniu cinco experiências de secretarias estaduais e municipais de saúde na sua primeira oficina de trabalho, que ocorreu durante dois dias (11 e 12/02), na Representação da OPAS/OMS no Brasil. Além de facilitar o intercâmbio entre elas, o Laboratório visa buscar estratégias para fortalecer a política nacional da gestão do trabalho no SUS. Para a diretora do Departamento de Gestão e Regulação do Trabalho na Saúde do Ministério da Saúde (DEGERTS/MS), Ana Paula Cerca, “o Laboratório visa oferecer novas possibilidades para o SUS, a partir do que já é feito pelas secretarias”.

Ela explicou que ao todo serão oito experiências acompanhadas pelo Laboratório, porém três ainda serão escolhidas a partir do Prêmio InovaSUS 2013. “Esperamos que as discussões possam subsidiar os futuros protocolos que queremos aprovar este ano, na Mesa Nacional de Negociação Permanente do SUS, especialmente, sobre a avaliação de desempenho e educação permanente. Também queremos avançar na discussão de um protocolo sobre dimensionamento da força de trabalho”, explicou Ana Paula.

O coordenador de Gestão do Trabalho em Saúde do DEGERTS, José Carlos Silva, enfocou a questão da inovação como diferencial do Laboratório. “Buscamos o apoio de pesquisadores e da estratégia do Laboratório de Inovação para construir concepções que qualifiquem a gestão do trabalho no SUS”, explicou. Com previsão de dois anos de atuação, o Laboratório de Inovação é coordenado pela DEGERTS, em parceria com a OPAS/OMS no Brasil e o Observatório de Recursos Humanos do Núcleo de Estudos de Saúde Pública da Universidade de Brasília (ObservaRH/Nesp/UnB).

A coordenadora do ObservaRH, Zuleide Ramos, explicou que o laboratório pretende extrair o conhecimento não explícito de cada experiência e desta forma colaborar com o referencial teórico. “O conceito da prática vai reforçar o conceito da teoria, que irá alimentar a prática. Vamos possibilitar a troca de intercâmbio com outros estados e municípios”. Para Zuleide Ramos, “com a descentralização do SUS, os serviços de saúde deram as suas soluções locais para a questão da gestão do trabalho. Nosso esforço será apontar essas inovações”, disse.

A pesquisadora do Instituto de Medicina Social da UERJ, Célia Regina Pierantoni, reforçou que ”se trabalhar a diferença entre essas experiências selecionadas já se configurará um trabalho inovador, assim como as similaridades também podem ser  inovadoras”. Ela se mostrou otimista quanto ao Laboratório ao se trabalhar “com uma rede de casos reais. Trabalhar com dificuldades e facilidades e apontar os impasses, que geralmente são questões financeiras”, apontou.

As cinco experiências apresentadas no primeiro dia da oficina, também foram reconhecidas pelo Prêmio InovaSUS. Acesse as apresentações:

- Implantação do Plano de Cargos, Carreira e Vencimentos dos Profissionais de Saúde do Município de Vitória (ES).
- Implantação do Plano de Cargo e Carreira Estadual do SUS em Mato Grosso.
- Implantação do Plano de Empregos, Carreiras e Salários na Fundação Estatal Saúde da Família  da Bahia - FESFSUS
- Mesa Municipal de Negociação Permanente do SUS e Efetivação da Política de Gestão do Trabalho no Município de Betim (MG).
- Avaliação de Desempenho: um instrumento de Gestão e Democratização nas Relações de Trabalho, Curitiba/PR.
 

Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 61 3251-9595