Organização Pan-americana da Saúde. Brasil

Skip to content



Destaques

Últimas notícias

Laboratórios de Saúde Pública
Os tipos de atividades desenvolvidas nos laboratórios de saúde pública, dependem de muitos fatores, destacando-se entre eles, as enfermidades prevalentes na região e os recursos disponíveis, principalmente em termos de pessoal e fundos.

Os laboratórios de saúde publica mais desenvolvidos, desempenham atividades, tais como:

1. serviços de análises com fins de diagnóstico, prevenção e tratamento de doenças;

2. estabelecimento e manutenção, mediante o exame químico e bacteriológico, de padrões de qualidades da água, do leite, dos alimentos em geral, do ar, dos produtos farmacêuticos e outras substâncias;

3. fabricação e distribuição de soros, vacinas, toxinas, antitoxinas e outros materiais biológicos para diagnóstico, prevenção e terapêutica;

4. supervisão das práticas, procedimentos, pessoal e produtos dos laboratórios particulares, se a legislação o determinar;

5. estudo da etiologia de epidemias, endemias e antropozoonoses;

6. prestação de assistência tecnológica à rede de unidades sanitárias e aos demais órgãos da administração pública que atuam em programas do setor saúde;

7. desenvolvimento de treinamento de pessoal;

8. realizações de investigações e pesquisas, promovendo e divulgando trabalhos de caráter técnico-científico.

A OPAS contribui junto à Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS/MS) através da Coordenação Geral de Laboratórios de Saúde Pública (CGLAB), na promoção de várias atividades, auxilia também o Departamento de Vigilância Epidemiológica (DEVEP), no acompanhamento situacional em conjunto com os Laboratórios Centrais (LACENS), faz-se necessário para se ter um diagnóstico da epidemiologia nacional incluindo as fronteiras brasileiras e atender ao Regulamento Sanitário Internacional frente às epidemias.

Tornar mais efetiva a ação na Vigilância em saúde com a descentralização para os municípios em relação à gestão de diagnósticos e agravos considerados estratégicos, efetuar a descentralização da responsabilidade pela gestão da realização de diagnósticos laboratoriais.

Colaborar com a coordenação e subsídio a normalização e supervisão a Rede Nacional de Laboratórios de Vigilância Epidemiológica e Ambiental em Saúde; Auxiliar a coordenação geral na normalização e supervisão das sub-redes de laboratórios pertencentes ao sistema nacional de laboratórios de Saúde Pública, nas atividades de vigilância epidemiológica e vigilância em saúde ambiental entre outros temas.


Contribuição: Melhorar o diagnóstico dos agravos considerados estratégicos para a vigilância em Saúde como:

Dengue; Hanseníase; Hepatites A, B, C e D; Leishimaniose T.A./ Visc. Canina/ Visc. Humana; Malária; Sífilis; Tuberculose; Chagas; Diarréia Bacteriana; Criptococo; Esquistossomose Mansônica; Febre Tifóide; Filarióse; Leptospirose; Meningite Bacteriana; Rotavírus; Toxoplasmose;  HIV ; Enfermidades Tipo Influenza (ETI).


Para mais informações:

Manual de Biossegurança

SIREVA

 

Campus Virtual

 

Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 61 3251-9595