Técnicos de onze países participam de curso sobre emergências com POPs

Imprimir E-mail

 Especialistas em atendimento a emergências químicas de países da América Latina e Caribe estão participando, na cidade de São Paulo, de um treinamento organizado pela Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – CETESB.

 Conhecidos pela sigla POP são considerados carcinogênicos.
Além de apresentarem uma ampla distribuição geográfica e de permanecerem nos ecossistemas por longos períodos, têm a propriedade de se acumular no tecido adiposo dos seres vivos. Os POPs mais conhecidos são o aldrin, cloridano, DDT, Mirex, PCBs (bifenila policlorada), dioxinas e furanos, que integram uma lista de doze compostos, que deverá, em agosto próximo, ser ampliada com a inclusão de novos produtos.

A atividade, denominada Treinamento Internacional “Atendimento a Emergências Químicas Envolvendo POPs da Convenção de Estocolmo”, foi aberta, em 26.04, e se encerrará em 29.04, com a realização de um simulado organizado pelo Setor de Operações de Emergência da CETESB, mostrando os procedimentos a serem adotados no manuseio desses compostos, especialmente em casos em que ocorrer a sua liberação para o meio ambiente.

O encontro foi aberto por Ana Cristina Pasini, diretora de Tecnologia, Qualidade e Avaliação Ambiental; Lady Virginia Meneses, gerente do Setor de Instrumentos de Gestão Ambiental, Convenções e Acordos Multilaterais e coordenadora do Centro Regional para a Convenção de Estocolmo para a Região da América Latina e Caribe; Tânia Gasi, gerente da Divisão de Gestão do Conhecimento; e Jorge Gouveia, gerente do Setor de Operações de Emergência.

Participam do treinamento 31 especialistas da Bolívia, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, México, Panamá, Paraguai, Peru e Uruguai. Entre os treinandos encontram-se, ainda, representantes dos ministérios do Meio Ambiente, da Saúde e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, e dos governos de Minas Gerais, Pernambuco e Tocantins, além das secretarias da Saúde e da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Secretaria do Patrimônio da União, Fundacentro – Fundação Jorge Duprat Figueiredo de Segurança e Medicina do Trabalho e INPEV – Instituto Brasileiro de Processamento de Embalagens Vazias.

O treinamento faz parte das atividades da CETESB, que foi indicada para ser um dos oito Centros Regionais da Convenção de Estocolmo para POPs, com a atribuição dar assistência técnica, fomentar a gestão ambiental adequada de POPs e dar suporte na construção de legislações aos países da América Latina e Caribe. A Convenção de Estocolmo (CE) é um tratado internacional, em vigor desde 2004, com a finalidade de dar proteção à saúde humana e ao meio ambiente contra os efeitos dos POPs.

O primeiro dia do treinamento contou com as palestras da engenheira química Lady Virgínia Meneses, que falou sobre o Centro Regional da Convenção de Estocolmo sobre POPs; do químico Jorge Gouveia, sobre Emergências Químicas; da farmacêutica-bioquímica, Rúbia Kuno, sobre Noções Básicas de Toxicologia Aplicadas aos POPs; e do químico Edson Hadda, sobre Riscos Químicos.

Nos próximos dois dias serão abordadas questões como equipamentos de proteção individual, atendimento a emergências, descontaminação de equipamentos, aspectos ambientais, gerenciamento de resíduos, gestão socioambiental do risco, planos de ação de emergência e outras.

O simulado no dia 29 vai se realizar das 08h00 às 11h30 em um porão localizado em um dos prédios da CETESB, na Avenida Professor Frederico Hermann Jr., 345, Alto dos Pinheiros, em São Paulo. Nesse local ocorrerá a simulação de um incêndio em um estoque de praguicidas e outros compostos em condições inadequadas. Os técnicos mostrarão como proceder no combate ao fogo e evitar que água utilizada contamine o solo e as águas.

Texto
Newton Miura
Foto
José Jorge

Fonte: http://www.cetesb.sp.gov.br/Noticias/2010/04/26_curso.asp