Indicadores de Saúde Ambiental para o Observatório de Clima e Saúde

Imprimir E-mail

nullA FIOCRUZ promoveu nos dias 29 e 30 de novembro de 2010, no Rio de Janeiro, a “Oficina de Seleção de Indicadores de Exposição e Efeito para Doenças Transmitidas por Vetores”, com o objetivo de selecionar os indicadores ambientais, climáticos, sociais e de saúde que possam ser usados para o monitoramento das doenças transmitidas por vetores em função das mudanças climáticas e ambientais.

A FIOCRUZ tem trabalhado com a metodologia FPSEEA da OMS para a construção da matriz  para seleção dos indicadores.

A oficina é parte das atividades do 'Observatório de Clima e Saúde', um projeto coordenado pela FIOCRUZ em parceria com o Instituto de Pesquisas Especiais (INPE), que tem como objetivo identificar e analisar situações, tendências e padrões climáticos e as condições de saúde das regiões brasileiras; contribuir para os sistemas nacionais de alertas; acompanhar as situações de emergência associadas a eventos climáticos e analisar as relações entre mudanças ambientais e climáticas e seus efeitos sobre a saúde da população. O evento reuniu técnicos e pesquisadores das áreas de Ambiente, Clima, Sociedade e Saúde.

 Fruto do projeto, o  futuro site Observatorium Clima e Saúde  fornecerá dados ambientais, climáticos, de saúde pública e socioeconômicos de várias fontes, que constituirão o Armazém de Geodados de Clima e Saúde. Este banco de informações do "Observatório" fornecerá, entre outros serviços, um suporte para a ampliação de pesquisa, desenvolvimento e inovação sobre as relações entre as mudanças ambientais e climáticas e seus efeitos sobre a saúde da população. Também proporcionará subsídios à tomada de decisão dos gestores, através da habilitação da comunicação destas informações no âmbito governamental e junto à sociedade.

Durante a oficina foram  apresentadas experiências de análise sobre doenças transmitidas por vetores (dengue, febre amarela, leishmaniose e malária)  de alguns sistemas de informação que disponibilizam dados de instituições como DATASUS/MSAÚDE , Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Instituto de Pesquisas Espaciais (INPE), entre outras. Com isso, espera-se produzir uma matriz que contenha sugestões de dados para cada uma das áreas (Ambiente, Clima, Sociedade e Saúde), que irá compor o “armazém” de dados do Observatório de Clima e Saúde.

 

Última atualização em Qua, 29 de Dezembro de 2010 08:12