Lançamento da Rede de Avaliação de Tecnologias em Saúde das Américas- REDETSA

Imprimir E-mail

No dia 25 de junho de 2011, no Rio de Janeiro, foi realizado o lançamento da Rede de Avaliação de Tecnologias em Saúde das Américas - REDETSA durante o pré-evento do HTAi 2011. A rede é apoiada pela OPAS/OMS no Brasil e foi criada por Representantes de Ministérios da Saúde de países da Região das Américas, Centros Colaboradores e instituições importantes no campo da ATS.

A Avaliação de Tecnologias em Saúde (ATS) vem sendo progressivamente considerada como uma prioridade para os gestores em saúde e os tomadores de decisão. É considerada uma ferramenta essencial para apoiar os processos de inserção de novas tecnologias nos sistemas de saúde, para facilitar a difusão de tecnologias custo efetivas e para estimular o abandono de tecnologias obsoletas ou não custo efetivas.

Como na maioria dos países do mundo, os países das Américas enfrentam o desafio do crescimento de gastos em saúde, diretamente relacionado com o crescimento dos gastos de compra de tecnologias tais como medicamentos de alto custo, equipamentos médicos ou a adoção de novos procedimentos ou protocolos. O desafio de estabelecer  processos mais racionais para a incorporação de novas tecnologias sanitárias é grande, e condiciona a sustentabilidade de sistemas integrados de saúde pública, requerendo novas ações e mecanismos de cooperação técnicas entre países e/ou regiões aprimorados.

A qualificação do processo de cooperação na Região das Américas se materializou com a criação da Rede de Avaliação de Tecnologia em Saúde das Américas - REDETSA, cujo primeiro encontro foi realizado em Buenos Aires, no mês de outubro 2010.  O primeiro encontro da REDETSA permitiu identificar prioridades para os países como a troca de experiência, estratégia para fomentar capacitação, disseminar informações para apoiar a tomada de decisão.

O segundo encontro da rede ocorrerá na manhã no dia 25 de junho, com a finalidade de definir e identificar os objetivos da rede, focando organização de processos e intervenções em ATS, a articulação com iniciativa regional, a sistematização do acesso às informações baseadas em evidência cientifica, a gestão e divulgação da comunicação e a mobilização de recursos.

Neste foro haverá a possibilidade de interação das autoridades de saúde e os outros integrantes da Rede com instituições acadêmicas, centros de excelência e especialistas regionais e internacionais, assim como redes nacionais e internacionais de ATS.

O objetivo principal da REDETSA é fortalecer a capacidade instalada regional de avaliação de tecnologias em saúde com a perspectiva de fortalecimento dos sistemas públicos de saúde dos países membros.            

Última atualização em Ter, 28 de Junho de 2011 10:55