OPAS/OMS do Brasil participa do I Fórum Nacional de Avaliação da Atenção Toxicológica no SUS.

nullOcorreu no dia 22 de novembro de 2011 na sede da Organização Pan-Americana da Saúde OPAS/OMS do Brasil o I Fórum Nacional de Avaliação da Atenção Toxicológica no SUS.  Evento teve como objetivo a realização de debates e reflexões com gestores e profissionais de saúde sobre a inserção da atenção toxicológica no âmbito do SUS e o papel dos Centros de Informação e Assistência Toxicológica – CIATs no modelo de atenção à saúde estruturado em redes.

O evento foi realizado pela Associaçãonull Brasileira de Centros de Informação e Assistência Toxicológica e Toxicologistas Clínicos – ABRACIT em colaboração com a OPAS/OMS do Brasil e contou com a participação de representantes da Secretaria de Vigilância em Saúde – SVS, Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos - SCTIE, Secretaria de Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde, Conselho Nacional de Secretários de Saúde – CONASS, Conselho Nacional de Saúde – CNS, Conselho Federal de Medicina – CFM, Associação Brasileira de Centros e Serviços de Informação sobre Medicamentos – REBRACIM e Coordenação Geral de Residência em Saúde do Ministério da Educação – SESU/MEC.

Segue abaixo os destaques da programação do evento:
• Conferência de Abertura: A contribuição dos Centros de Informação e Assistência Toxicológicas na qualificação dos atendimentos dos pacientes intoxicados: da informação toxicológica ao cuidado do paciente.
• Mesa 1: Estratégias para a inserção da Atenção Toxicológica no SUS
• Painel 1: Sistemas de informação das intoxicações
• Painel 2. Educação Permanente em Toxicologia - Experiência do Centro Antiveneno da Bahia e do Centro de Informações Toxicológicas do Rio Grande do Sul
• Mesa 2: Formação de Recursos Humanos em Toxicologia voltados à assistência especializada, toxicologia analítica e vigilância no SUS.null

O evento foi finalizado com a elaboração de uma carta de apoio ao fortalecimento da atenção toxicológica no âmbito do SUS, para encaminhamento aos gestores do Sistema Único de Saúde.