Como parte da Iniciativa CARMEN, Secretaria de Saúde de Anchieta - ES vai monitorar doenças crônicas em adultos

Imprimir E-mail


Um projeto piloto para vigilância de doenças crônicas não-transmissíveis em pequenos municípios começa a ser implantado pela Organização Pan-Americana da Saúde, do Ministério da Saúde e da Secretaria de Saúde do Espírito Santo e Secretaria Municipal de Saúde de Anchieta a partir de junho de 2010. O projeto fará parte da Iniciativa CARMEN (Conjunto de Ações para a Redução e Manejo das Enfermidades Não-transmissíveis) no Brasil. Técnicos da OPAS, MS, SESA-ES participaram no último dia 17 de maio de uma audiência especial do Conselho Municipal de Saúde de Anchieta, para apresentar o projeto. O Conselho aprovou a proposta e ofereceu algumas sugestões ao projeto para os técnicos.

nullApós reunião na Secretaria de Saúde do Espirito Santo com o Dr. Pedro Benevenuto (gerente da Vigilância em Saúde) e com Dr. Romildo Andrade (técnico em doenças e agravos não-transmissíveis da vigilância epidemiológica - SESA/VE/DANT), as técnicas da CGDANT/SVS do Ministério da Saúde - Renata Yokota e Betine Iser e a consultora da OPAS/OMS no Brasil - Micheline Meiners, foram ao município de Anchieta para discutir a proposta do projeto com o Secretário Municipal de Saúde, Dr. Fayer Fonseca.

 

 nullA proposta, que foi apresentada por Renata Yokota ao Conselho Municipal, tem como base a aplicação do questionário do inquérito telefônico VIGITEL (CGDANT/SVS/MS) pelos agentes comunitários de saúde de Anchieta, com a supervisão de gerentes das UBS, que irão receber treinamento para a coleta de dados dos moradores, selecionados através de sorteio entre os mais de 14 mil usuários adultos das unidades da Estratégia Saúde da Família no município. Anchieta é o primeiro município de pequeno porte no Brasil a ser beneficiado.

 

Serão cerca de 500 entrevistas, que vão mapear fatores de risco/ proteção e prevalência de DCNT. A identificação e diagnóstico de portadores de doenças crônicas(diabetes, câncer, asma, doenças cardiovasculares, doenças respiratórias, etc), permitirá retratar como os usuários e suas famílias lidam com essas doenças. No caso dos não-portadores, o questionário vai identificar modos de vida que protegem ou que facilitam a entrada dessas doenças na vida das pessoas(tabagismo, sedentarismo, alimentação rica em gordura e açúcar, etc). Serão realizados entre os participantes exames antropométricos, laboratoriais e testes respiratórios para detectar eventuais doenças crônicas e verificar a situação dos órgãos vitais(coração, pulmão, rins, etc). Os primeiros resultados devem ser apresentados em dezembro.

Última atualização em Sex, 21 de Maio de 2010 14:33