Ettienne Krug, da OMS faz pronunciamento para o Dia Mundial em Memória das Vítimas do Trânsito

Na ocasião da data, celebrada neste ano em 18 de Novembro, o Diretor do Departamento de Prevenção de Violências, Lesões e Incapacitações da OMS lembrou a importância da necessidade de aprender com o passado.

A data é lembrada mundialmente, sempre no terceiro domingo de novembro, desde 1993 e encorajada pela ONU e OMS e a OPAS, como constam Resoluções A/RES/62/244 eA/RES/64/255 das Nações Unidas. Neste ano, em pronunciamento disponível em língua portuguesa (confira aqui a integra do texto e do vídeo) Krug, que é também Presidente da Colaboração para a Segurança Viária das Nações Unidas lembrou que a cada vinte segundos, em algum lugar do mundo, um pai, uma mãe, um filho, uma filha, um irmão, um colega e amigo é morto em um acidente de trânsito. Lembrou ainda que tanta dor e sofrimento são inaceitáveis, uma vez que dispomos de conhecimento necessário para evitar as mortes e lesões causadas pelo trânsito.

A Organização Mundial de Saúde estima que, anualmente, 1,3 milhão pessoas perdem suas vidas no trânsito, enquanto 50 milhões de outras sobrevivem com as mais diversas lesões, adquiridas em colisões, atropelamentos, capotamentos e quedas de veículos. Em não se agindo de forma vigorosa – alerta a OMS – a projeção é que, até 2030, serão 2,4 milhões de mortes/ano, o que fará o trânsito passar da 9ª para a 5ª causa de óbitos no planeta. 

Na Região das Américas, onde se concentram as ações da Organização Pan-americana de Saúde, o trânsito responde por cerca de 140 mil mortes e 5 milhões feridos anualmente. No Brasil, os óbitos por esta causa correspondem, a cada ano, a mais de 38 mil vidas, sendo o trânsito a 1ª causa de mortes na faixa 15-29 anos.

Os custos das mortes e lesões ocorridas no trânsito entre 1-2% do Produto Interno Bruto das nações. No Brasil, o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada – IPEA, calculou os custos sociais e econômicos dos acidentes vias urbanas e interurbanas em torno de R$ 30 bilhões/ano. Nenhuma cifra econômica, contudo, pode expressar a dor e o sofrimento da perda ou incapacitação de um ente querido – e é neste sentimento que se concentram as homenagens do Dia em Memória das Vítimas do Trânsito, em todo o mundo.

No Brasil, tendo o apoio da equipe de segurança viária da OPAS/OMS no País, o Ministério das Cidades (onde está sediado o Departamento Nacional de Trânsito – Denatran) e o Ministério da Saúde encabeçam as iniciativas no âmbito Federal relacionadas ao Dia em Memória, enquanto vários outros órgãos governamentais em nível municipal e estadual, ONGs, setor privado e mídias sociais (como em http://www.facebook.com/roadsafetydecade) também celebram a data anualmente.

Confira também os seguintes links: World Day of Remembrance for Road Traffic Victims (OMS) e World Day of Remembrance for Road Traffic Victims (Website official).