Página inicial

Tradução de Conhecimento

Imprimir E-mail

Já Blum e Kundson afirmam que "o jornalismo científico tem sua fórmula própria. Além do uso de analogias, metáforas e outros recursos que clarifiquem conceitos difíceis da ciência, o redator deve valer-se da criatividade ao escrever a notícia. Ao contrário dos cientistas, que têm o objetivo de divulgar aspectos específicos de um tema entre um público já informado, o jornalista quer explicar, educar e, principalmente, não tornar a leitura pesada ao leitor".

Kreinz e Pavan, por sua vez, lembram que, "antes de redigir a matéria, o jornalista deve pensar tanto no veículo que irá divulgar a matéria como no público-alvo daquela determinada publicação. Dependendo do perfil dos leitores, o repórter deverá fornecer mais ou menos detalhes sobre determinado tema, sendo, dessa forma, ou mais específico, ou mais generalista".

Além do cuidado com a linguagem, os teóricos também recomendam a humanização dos relatos, uma vez que esta busca aproximar o leitor da informação, para torná-la mais compreensível. Leva-se a informação até o ambiente do leitor, de maneira que ele a sinta e a entenda. Humanizar não significa escrever para o leitor, mas redigir de tal modo que a notícia tenha um sentido para ele. Uma forma simples de humanizar uma história é enquadrar o personagem de um acontecimento no mesmo cenário da maioria dos leitores (Luz, 2009).

 

Figura 1. Tradução de Conhecimento

 

Suas características são (Kammen, 2006):

    • Organização e administração de foruns para tomadores de decisão e investigadores;
    • Construção de relações de confiança;
    • Desenvolvimento de agendas  objetivos comuns;
    • Enfoque de oportunidades mútuas;
    • Clareza nas necesidades de informação;
    • Síntese de investigação focada nas políticas de alta relevância;
    • Entendimento da síntese de investigação e fácil acesso às evidências;
    • Desenvolvimento de capacidades para a tradução do conhecimento;
    • Monitoramento do impacto da redução do hiato entre o conhecimento e a tarefa.

Sua aplicação:

A experiência do Ministério da Saúde da Holanda, onde por meio de três passos estratégicos se buscou vencer a barreira existente entre o conhecimento e o desenvolvimento de políticas públicas sobre práticas assistidas de fertilidade.

Figura 2. Passos no desenvolvimento

 

 

Figura 3. Pontos chave para o êxito

Artigos recomendáveis disponíveis em texto completo:

Última atualização em Seg, 07 de Junho de 2010 19:11
 

Setor de Embaixadas Norte, Lote 19, 70800-400 Brasília, DF, Brasil
Caixa Postal 08-729, 70312-970 - Brasilia, DF, Brasil
Tel: +55 613-251-9595

© Pan American Health Organization. All rights reserved.