Colatina é um município da região noroeste do Espírito Santo, localizado a 140km da capital, com uma população de 121 mil habitantesº. O maior produto agrícola de Colatina é o café, e a cidade se destaca também pela produção da indústria têxtil.
A partir do início de 2014, o município recebeu 16 profissionais do Programa Mais Médicos. Em uma das unidades de saúde contempladas, o número de atendimentos passou de 20 para 128 por semana, segundo a Prefeitura de Colatina¹.

“O Programa Mais Médicos para a gente foi muito bom porque nós tínhamos uma dificuldade enorme em fixar médicos na atenção básica. Os profissionais têm feito muita diferença no atendimento, nós temos recebido muitos elogios. Eu acho até que o programa deve ser estendido, por ainda mais tempo, se possível, porque a nossa experiência foi muito positiva”, diz a Secretária de Saúde do município, Débora Gatti Carvalho.

Yailyn Gaimetea Rodriguez chegou ao Brasil em janeiro de 2014 e dois meses depois já estava atendendo a população da Unidade de Saúde São Silvano, em Colatina. Com a fala doce, pausada, e as frases pontuadas por sorrisos, Yailyn transmite tranquilidade, segurança e amabilidade. “O trabalho vai muito bem, a relação com a equipe é ótima e a população gosta muito da nossa atividade aqui. Quando nós chegamos tinha muita fila, mas hoje o atendimento é quase imediato. Eu atendo de 25 a 27 pacientes por dia”, conta a médica.

Ana Maria Torati Morais é paciente de Yailyn e aprova enfaticamente o trabalho das médicas cubanas. “A melhor coisa que fizeram foi colocar essas médicas trabalhando aqui. A gente marca na hora, elas atendem na hora, é muito bom mesmo. Acho que o atendimento é melhor até do que no particular. Porque elas incentivam a gente, procuram saber o que a gente está sentindo, perguntam se a gente não esqueceu de falar alguma coisa... Elas são ótimas, eu dou nota dez para elas”, destaca.

Ronaldo Borghi também é usuário do posto e tem a mesma opinião que Ana Maria. “Eu tive o prazer de consultar com elas, porque sou diabético e hipertenso. Sempre fui bem atendido por ambas, e hoje trouxe o meu filho, que foi diagnosticado com caxumba. Ele gostou muito dela também.”

Renato conta ainda que vê pouca diferença entre médicos brasileiros e cubanos: “Em geral não tem diferença. Eu me sinto até melhor com os médicos cubanos, porque eles não olham para você como uma peça dividida em órgãos. Eles procuram saber o que você tem, perguntam tudo. Alguns médicos brasileiros infelizmente te atendem de cabeça baixa e nem te dão atenção. E elas não, elas dão um carinho especial para a gente. Se elas saírem daqui vai ser uma tristeza para a gente. Eu sou super a favor do Programa Mais Médicos”, afirma.

Uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) em parceria com o Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas (Ipespe) e divulgada no último mês de setembro de 2014 mostrou que o Programa Mais Médicos era aprovado por 95% dos entrevistados, que deram notas acima de oito à atuação dos profissionais. Foram entrevistadas mais de 4 mil pessoas, em 200 municípios espalhados por todo o país². Mas, a despeito da massiva aprovação popular, não são todos os que aprovam o Programa Mais Médicos. Apesar da demonstração dos avanços e resultados, e de na última chamada para o programa 91% das vagas terem sido preenchidas por médicos com CRM Brasil³, alguns integrantes da classe médica ainda segregam os médicos cubanos.

“Temos um ótimo relacionamento com as equipes, com os enfermeiros, mas com os médicos brasileiros do posto... Não os conhecemos. Eu tentei uma aproximação quando cheguei aqui no posto, mas como não foi para frente... Eu não sei se eles gostam ou não gostam da gente, não sei porque eles não falam conosco. Mas tudo bem, nós trabalhamos aqui e eles lá”, sorri Yailyn.

A enfermeira da Estratégia de Saúde da Família Daiana Natali de Oliveira e as agentes comunitárias Ana Beatriz Tomasi e Vera Lúcia Dalapicola são unânimes ao afirmar que as médicas cubanas são pontuais, competentes, que trabalham muito bem em equipe e que conquistam a todos os pacientes e profissionais de saúde. “As pessoas ligam para contar do cotidiano, se ficaram grávidas, ligam para contar”, diz Daiana. “Isso porque, além de médicas, elas viram amigas das pessoas, ficam amigas de todo mundo”, conta Ana Beatriz.
 

Mais de 3 mil profissionais já se apresentaram nos municípios que vão atuar no Programa Mais Médicos

Dos 15.747 profissionais que se inscreveram na primeira chamada do Programa Mais Médicos, 3. 304 já se apresentaram nos municípios que vão atuar. Esses profissionais são brasileiros com registro para trabalhar no país e começam a atender à população no próximo dia dois de marçoº.

Ainda estão disponíveis 835 vagas para profissionais que tenham interesse em participar do programa Mais Médicos. As vagas que não foram preenchidas serão oferecidas para médicos brasileiros formados no exterior.

Série Mais Médicos – Vídeo

A OPAS/OMS no Brasil estruturou uma série de reportagens sobre o Programa de Cooperação Técnica Mais Médicos. A cada edição, será apresentado um vídeo mostrando a experiência do programa em algumas regiões do país.

O objetivo dos vídeos é refletir, em linhas gerais, o andamento da cooperação, desde a chegada dos médicos cubanos, o processo de formação, a integração com outros profissionais, a percepção da população, os resultados obtidos, os avanços, os processos de inovação e a troca de experiências.

Neste décimo sexto episódio, Colatina – ES, o vídeo mostra a análise da Secretária de Saúde do município, o depoimento da médica cubana em exercício, a opinião da enfermeira da equipe de Estratégia de Saúde da Família, além dos testemunhos de dois pacientes e de duas agentes comunitárias de saúde.

Unidade Básica de Saúde de São Silvano

A Unidade Básica de Saúde de São Silvano (CNES 2446359)¹ atende a uma população de aproximadamente mil pessoas, conta com 2 equipes de saúde da família e 26 funcionários, entre médicos, administrativos e profissionais de saúde. Presta atendimento ambulatorial e demanda espontânea, além de realizar visitas domiciliares. Funciona de segunda a sexta.


O Programa Mais Médicos

O Mais Médicos é um Programa de saúde lançado em 08 de julho de 2013 pelo Governo Federal, cujo objetivo é suprir a carência de médicos nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades do Brasil.

Médicos brasileiros tiveram prioridade em preencher as vagas do programa. As vagas remanescentes foram oferecidas primeiramente a brasileiros formados em universidades no exterior e em seguida a médicos estrangeiros, que trabalham sob uma autorização temporária para praticar medicina, limitada à provisão de atenção básica de saúde e restrita às regiões onde serão direcionados pelo Programa.

A OPAS/OMS no Brasil e o Ministério de Saúde assinaram um Termo de Cooperação para colaborar na expansão do acesso da população brasileira à atenção básica de saúde. O termo inclui diversas linhas de ação, desde documentar, disseminar informação a prover aconselhamento técnico e apoio à capacitação e treinamento continuado aos médicos selecionados, seguindo as recomendações do Código Global de Práticas em Recrutamento Internacional de Pessoal de Saúde da OMS. A OPAS/OMS também assinou um Acordo de Cooperação de natureza similar com o Ministério de Saúde Pública de Cuba.

Os médicos cubanos vão trabalhar nos municípios que não foram selecionados por nenhum médico (brasileiros ou estrangeiros) nas primeiras rodadas de recrutamento. A maioria destes municípios tem 20% ou mais da população vivendo em extrema pobreza, a maioria está nas regiões Norte e Nordeste do país. Todos os médicos fazem um treinamento de 3 semanas de duração, uma semana de acolhimento nos estados aos quais serão destinados e um módulo de avaliação.

Referências

ºInstituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas, Coordenação de População e Indicadores Sociais. Acessado em: 24/02/2015.
¹Prefeitura Municipal de Colatina. Acessado em: 24/02/2015.
²Ministério da Saúde. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus). Portal da Saúde. Blog da Saúde. Acessado em: 24/02/2015.
³Ministério da Saúde. Blog da Saúde. Portal da Saúde. Acessado em: 12/02/2015.
¹Ministério da Saúde. Blog da Saúde. Portal da Saúde. Acessado em: 25/02/2015.
²Ministério da Saúde. Departamento de Informática do Sistema Único de Saúde (Datasus), Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES). Acessado em: 24/02/2015.