O Ministério da Saúde confirmou nesta quinta-feira (14/05/2015) a circulação do Zika vírus no país. A Secretaria de Vigilância em Saúde vinha monitorando desde o final de fevereiro o registro de casos de doença exantemática na Região Nordeste. Segundo as notificações compartilhadas pelas Secretarias de Saúde dos estados da Bahia, Maranhão, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Sergipe e Paraíba.

No dia 30 de abril pesquisadores do Laboratório de Virologia do Instituto de Ciências da Saúde (ICS/UFBA) identificaram o vírus em análise de amostras de sangue de pacientes de Camaçari - BA.

O Instituto Evandro Chagas atestou positivo para o exame de 16 pessoas que apresentaram resultados preliminares para o vírus. Foram oito amostras da Bahia e oito do Rio Grande do Norte. Segue a investigação de outros casos suspeitos de doenças exantemáticas que somam mais de 6.800 casos.

O Ministério da Saúde já acionou a rede de vigilância em conformidade com o Regulamento Sanitário Internacional da OMS e os países da região já estão cientes da confirmação da introdução do Zika vírus na parte continental das Américas. 

O Zika vírus têm uma evolução benigna, com um período de incubação de aproximadamente quatro dias. A doença é caraterizada por febre baixa, hiperemia conjuntival (olhos vermelhos) sem secreção e sem coceira, artralgia (dores em articulação) e exantema maculo-papular (erupção cutânea com pontos brancos ou vermelhos), dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas. Os sinais e sintomas podem durar até 7 dias. 

Perguntas e Resposta sobre o Zika vírus

O vírus é transmitido pela picada do mosquito Aedes aegypti, o mesmo que transmite a dengue e o chikungunya. Por esse motivo, as medidas de prevenção e controle são as mesmas. A mobilização da população no enfrentamento deste vetor se faz ainda mais necessária. .

O tratamento é sintomático e baseado no uso de acetaminofeno (paracetamol) para febre e dor, conforme orientação médica. Não está indicado o uso de ácido acetilsalicílico e drogas anti-inflamatórias devido ao risco aumentado de complicações hemorrágicas, como ocorre com a dengue. Orienta-se procurar o serviço de saúde para condução adequada. 

Independente da confirmação de outras amostras para Zika Vírus, é alertada a importante que os profissionais de saúde se mantenham atentos frente aos casos suspeitos de dengue visto que em relação ao ano passado esta tendo um aumento de casos de dengue no pais. 

Fonte: Adaptado de noticia do Ministério da Saúde

Foto: Vieira G. J., Instituto Oswaldo Cruz/Fiocruz