Brasília, 03 de agosto de 2015 - No último sábado (01), dia de encerramento do 11º Congresso da ABRASCO, a OPAS/OMS lançou o “Atlas de Desenvolvimento Sustentável e Saúde – Brasil 1991 a 2010”. A publicação foi elaborada com o objetivo de descrever a magnitude e a evolução de importantes indicadores das dimensões econômica, social e ambiental e oferecer subsídios para o debate sobre as desigualdades no Brasil ao longo das últimas duas décadas, considerando o ponto de vista da saúde. Os indicadores referem-se aos anos de 1991, 2000 e 2010, e a todas as unidades federadas, tomando como base para a análise os municípios brasileiros.

A realização do estudo foi motivada por uma frase-chave do documento final da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), realizada no Rio de Janeiro, em 2012, que afirma: “[...] reconhecemos que a saúde é uma condição prévia, um resultado e um indicador das três dimensões do desenvolvimento sustentável”: a econômica, a social e a ambiental.

Foram selecionados indicadores incluídos nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) que terão continuidade nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS), pactuados pelos estados-membros das Nações Unidas para o período posterior a 2015. São eles: taxa de mortalidade infantil e na infância, como indicadores da dimensão da saúde; proporção da população em condição de pobreza, como indicador da dimensão econômica; proporção da população analfabeta, como indicador da dimensão social; e proporção da população sem acesso à água encanada, como indicador da dimensão ambiental.

As análises realizadas evidenciam, em todas as unidades federadas do país, avanços positivos nas duas décadas estudadas (1991-2010), especialmente na última, no que se refere tanto à melhoria dos indicadores de desenvolvimento sustentável analisados quanto na redução de seus valores médios e das desigualdades entre as regiões e os municípios do país, sendo esse último muito importante de ser ressaltado.

Os autores da publicação são: Carlos Corvalan (representação OPAS/OMS no Brasil); Elisabeth Duarte (Universidade de Brasília – UnB); Oscar Mujica (escritório central da OPAS/OMS em Washington, D.C.); Walter Ramalho (Universidade de Brasília – UnB) e Enrique Vazquez (representação OPAS/OMS no Brasil). Os organizadores são: Joaquín Molina (representação OPAS/OMS no Brasil); Carlos Corvalan (representação OPAS/OMS no Brasil) e Enrique Vazquez (representação OPAS/OMS no Brasil).

De momento, o “Atlas de Desenvolvimento Sustentável e Saúde – Brasil 1991 a 2010” está disponível apenas na versão impressa. Em breve, a publicação será disponibilizada online.