São Luís, 25 de outubro de 2015 - O representante da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil, Joaquín Molina, participou neste domingo (25) da abertura do III Congresso das Prefeituras e Secretarias Municipais de Saúde do Maranhão. No evento, ele destacou a importância da atenção básica para o Sistema Único de Saúde (SUS). “É onde se resolve a maioria dos problemas de saúde da população, mais de 70%”, afirmou.

O foco da atenção básica é na prevenção de doenças e na promoção da saúde. É nesse setor, por exemplo, que é feito o pré-natal, a vacinação, o acesso a métodos contraceptivos e o acompanhamento e tratamento de diabetes, hipertensão, amigdalite, entre outros. Além disso, é a área onde atuam os profissionais do programa Mais Médicos, que segundo o presidente do Conselho de Secretários Municipais de Saúde do Maranhão (COSEMS-MA), Vinicius Araújo, foi essencial para fortalecer a atenção básica nos municípios maranhenses. O secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde, Antonio Carlos Nardi, também ressaltou a importância da iniciativa e da cooperação com a OPAS/OMS, que possibilitou a vinda de médicos de Cuba para atuar no Brasil.

Molina aproveitou a oportunidade para lembrar que neste domingo é dia 25, data em que se marca todo mês o Dia Laranja Pela Eliminação da Violência Contra as Mulheres. “Nesse dia se convida todos a usarem uma peça de roupa laranja. Eu estou com esta camisa laranja para divulgar a campanha pela equidade de gênero e pelo fim da violência contra a mulher”, disse.


Congresso

O Congresso, que neste ano tem como tema “Regionalização Solidária”, ocorre até terça-feira (27), no Rio Poty Hotel, em São Luís, capital do Maranhão. Entre os assuntos abordados em conferências, palestras, seminários e oficinas, estão experiências exitosas do programa Mais Médicos, o lançamento da Agenda Pós 2015: Os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável e ações para redução da carga de hanseníase. Participam do evento 217 Secretarias Municipais de Saúde, autoridades estaduais e nacionais, assim como profissionais, técnicos e gestores de municípios, entre outros.