Washington, D.C., 6 de novembro de 2015 – Os países das Américas alcançaram grande progresso na redução de mortes e doenças por malária. Ao todo, 14 dos 21 países da região onde a malária é endêmica expressaram o compromisso oficial de eliminar a enfermidade. No Dia da Malária nas Américas (6 de novembro), a Organização Pan-Americana da Saúde / Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) e seus sócios honraram programas de três países como Campeões contra a Malária nas Américas 2015, em reconhecimento a seus esforços para detectar, tratar e reduzir a propagação da enfermidade.

Os esforços desses e de outros países contribuíram para uma diminuição regional de 67% nos casos (de quase 1,2 milhão em 2000 para 375 mil em 2014) e de 77% nas mortes (de 390 em 2000 para 89 em 2014). “A região das Américas demonstrou sua capacidade de reduzir significativamente a malária”, destacou Marcos Espinal, diretor do Departamento de Doenças Transmissíveis da OPAS/OMS. Espinal afirmou que “a OPAS/OMS e seus países membros estão comprometidos a acelerar os esforços para eliminar a enfermidade” na região.

Os Campeões contra a Malária nas Américas 2015 são:

•    Brasil. Programa Nacional de Prevenção e Controle da Malária do Brasil, vencedor do prêmio de primeiro lugar. Desde a sua criação em 2003, esse programa tem ajudado a diminuir drasticamente o número de mortes por malária (redução de 61%), os casos (queda de 69%) e as internações (diminuição de 84%) a nível nacional, alcançando decréscimos ainda mais significativos nos municípios de renda mais baixa. O programa conta com cerca de 14 mil trabalhadores de saúde, que colaboram com as comunidades urbanas e rurais para realizar a vigilância, detecção, controle de vetores, tratamento, educação sanitária e instalação de mosquiteiros. O programa é parte do Departamento de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde e colabora com programas de Extensão Comunitária de Saúde e a Estratégia de Saúde da Família do Ministério.
Assista ao vídeo da experiência: www.youtube.com/watch?v=s6BFXlxSrqo

•    Honduras: Os esforços para controle da malária da Unidad de Vigilancia de la Salud de Honduras reduziram os casos em média 56% nos últimos três anos, em seis departamentos que acumulam mais de 90% dos casos no país. O programa trabalha em estreita colaboração com as comunidades para instalar mosquiteiros, realizar a vigilância, ampliar a cobertura do diagnóstico e garantir o tratamento. Em 2014, Honduras registrou 3.380 casos de malária em todo o país, o que representa uma diminuição de 90% dos 35.125 casos registrados no ano 2000.
Assista ao vídeo da experiência: www.youtube.com/watch?v=RgBu2L42WE0

•    Paraguai: O Programa Nacional para el Control del Paludismo (PNCP) ajudou o Paraguai a manter-se livre da transmissão autóctone da malária desde 2012. O programa utiliza a estratégia “T3” de “Diagnóstico, Tratamento e Acompanhamento” para a malária, que incluiu a vigilância ampliada dos mosquitos vetores e dos casos importados da enfermidade. O PNCP é parte do Servicio Nacional de Erradicación del Paludismo (SENEPA) e está trabalhando para alcançar a certificação do Paraguai como país livre da malária por parte da OPAS/OMS.
Assista ao vídeo da experiência: www.youtube.com/watch?v=CEvpyZpZxtM

O concurso Campeões contra a Malária nas Américas 2015 foi estabelecido em 2009 para reconhecer os esforços inovadores que contribuíram significativamente para a superação dos desafios da malária nas comunidades, nos países e no hemisfério, e que serviram de inspiração na batalha mundial contra a doença. A competência e observância deste dia é copatrocinada pela OPAS/OMS, a Escola Bloomberg de Saúde Pública e o Centro para Programas de Comunicação da Universidade Johns Hopkins e o Instituto Milken da Escola de Saúde Pública da Universidade George Washington. Este ano, a Fundação das Nações Unidas também apoia a iniciativa.

Fórum para o Dia da Malária nas Américas
Além da celebração dos Campeões contra a Malária nas Américas 2015, o evento pelo Dia da Malária nas Américas também conta com um fórum especial sobre a malária. A atividade se concentra em novas iniciativas para o controle e eliminação da doença, inclusive a “Ação e Investimento para Vencer a Malária”, da Associação Roll Back Malária, a Estratégia para a Malária nas Américas da Fundação Bill e Melinda Gates e a iniciativa “Zero Malária” do Consórcio para a Eliminação da Malária no Haiti e na República Dominicana.