Atualização em fevereiro de 2018

O que é febre amarela?

A febre amarela é uma doença viral transmitida por mosquitos infectados. Os sintomas mais comuns são febre, dores musculares com dor lombar proeminente, dor de cabeça, perda de apetite, náusea ou vômito. Na maioria dos casos, os sintomas desaparecem depois de 3 ou 4 dias. De 15 a 25% dos pacientes entra em uma segunda fase mais grave, na qual o risco de morte é maior e as pessoas podem ficar com a pele e os olhos amarelados, urina escura, dores abdominais com vômitos, sangramentos.

Como a febre amarela é transmitida?

O vírus da febre amarela é transmitido por mosquitos pertencentes às espécies, Haemagogus, Sabethes e Aedes. Esses mosquitos são infectados pelo vírus quando picam um macaco ou ser humano infectado. A doença não pode ser transmitida de um macaco para um humano, tampouco de uma pessoa para outra nem entre macacos, só pelo mosquito.

Existe tratamento para febre amarela?

Um tratamento de apoio oportuno e de qualidade nos hospitais melhora as taxas de sobrevivência. Atualmente, não há medicamento antiviral específico para febre amarela, mas os cuidados no tratamento de desidratação, falência do fígado e dos rins e febre melhora o resultado. Infecções bacterianas associadas podem ser tratadas com antibióticos. A vacinação é a forma mais eficaz de prevenção contra a febre amarela.

Como se previne a febre amarela?

A febre amarela é prevenida por uma vacina eficaz e segura. Uma dose é suficiente para imunizar por toda a vida. Em casos onde o suprimento de vacinas é limitado, também pode ser usada a estratégia de fracionamento de doses. A aplicação de 1/5 de uma dose regular fornece imunidade por pelo menos um ano, provavelmente mais. Há estudos em andamento para determinar a proteção em longo prazo fornecida por doses fracionadas.

Qual a diferença entre a dose padrão e a dose fracionada da vacina contra febre amarela?

A diferença entre as doses está na quantidade injetada: a padrão tem 0,5 mL e protege por toda a vida; a fracionada tem 0,1 mL (1/5 da dose padrão) e fornece imunidade por pelo menos 12 meses, provavelmente mais (há um estudo da Fiocruz que aponta oito anos de proteção). O fracionamento de doses é uma forma de esticar o suprimento de vacinas, protegendo mais pessoas e diminuindo a possibilidade de propagação da doença. Essa medida pode ser usada em resposta a necessidades de campanhas de larga escala.

O vírus da febre amarela circula em quais países?

A febre amarela ocorre em 47 países: 34 na África e 13 nas Américas Central e do Sul (incluindo o Brasil). Viajantes que visitam esses lugares podem levar a doença para outras localidades livres dela. Para impedir isso, muitos países exigem comprovante de vacinação contra febre amarela antes de emitir o visto. Mas a doença só se espalha facilmente se o país tiver espécies de mosquitos capazes de transmiti-la, condições climáticas específicas e o reservatório animal necessário para mantê-la.

A lista de países com risco de transmissão da febre amarela e países que exigem vacinação contra febre amarela pode ser acessada no seguinte link (em inglês): http://who.int/ith/2017-ith-annex1.pdf?ua=1&ua=1. Essa lista foi atualizada em fevereiro de 2017. As exigências dos países estão sujeitas a alterações a qualquer momento. É importante que os viajantes se assegurem que conhecem os requisitos do país para o qual viajam, consultando o consulado ou embaixada relevante.

Quem precisa tomar a vacina?

A vacina deve ser dada às pessoas com mais de 9 meses de idade que vivem em área de risco de transmissão de febre amarela – exceto grupos específicos (ver a pergunta “Quem não deve tomar a vacina contra febre amarela?”). Em uma epidemia, quando há uma campanha de vacinação em massa em andamento, devem ser vacinados todos com mais de 6 meses (quando o risco de doença é maior que um evento adverso da vacina). Também é recomendada a vacinação para os viajantes que visitam áreas onde há risco de febre amarela.

Quem não deve tomar a vacina contra febre amarela?

Não devem ser vacinadas crianças com menos de 9 meses e gestantes (exceto em situações específicas, como um surto), pessoas com alergia à proteína do ovo e com imunodeficiência grave devido aos sintomas de HIV/aids e outras causas ou quem possui disfunção na glândula timo. Pessoas com mais de 60 anos só devem ser vacinadas após avaliação cuidadosa de risco-benefício, por um profissional de saúde. A vacina pode ser dada a indivíduos com infecção assintomática do HIV e contagem de CD4+ ≥ 200 células/mm3.

Há risco de evento adverso relacionado à vacina da febre amarela?

Sim, mas é raro. As taxas desses “eventos adversos pós-imunização”, quando a vacina ataca o fígado e os rins ou o sistema nervoso, levando à hospitalização, estão entre 0,4 e 0,8 para cada 100 mil pessoas vacinadas. O risco é maior para pessoas com mais de 60 anos (que só devem ser vacinadas após avaliação de risco-benefício) e quaisquer pessoas com imunodeficiência grave devido aos sintomas do HIV/aids e outras causas, como disfunções na glândula timo (que não devem tomar a vacina).

Estou protegida(o) da febre amarela imediatamente após a vacinação?

Não. Em geral, 90% das pessoas levam 10 dias a partir da data de vacinação para desenvolver imunidade ao vírus da febre amarela (o índice sobe para 99% das pessoas 30 dias após a vacinação). Por isso, é muito importante se proteger contra picadas de mosquitos nesse período. Tanto os que foram vacinados há menos de dez dias quanto os que não podem tomar a vacina devem vestir roupas que cubram a pele, dormir sob mosquiteiros tratados com inseticida, mesmo durante o dia, e usar repelentes.

 

Perguntas e respostas sobre fracionamento de doses da vacina

O que é a dose fracionada da vacina contra a febre amarela?

Especialistas orientam que uma dose menor da vacina pode proteger as pessoas contra febre amarela. Estudos mostram que a aplicação de um quinto (1/5) de uma dose regular fornece imunidade completa por pelo menos um ano, provavelmente mais. O uso de dose fracionada ou economia de dose pode ser feito para controlar um surto em casos onde o suprimento de vacinas é limitado.

O que os especialistas em vacinas dizem sobre a dosagem fracionada?

Após analisar evidências, o Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas sobre Imunização (SAGE) da OMS determinou que um quinto de uma dose padrão da vacina pode fornecer proteção total contra a doença por pelo menos 12 meses e pode ser usado para controlar surtos.

Em uma campanha de vacinação em massa na República Democrática do Congo em 2016, o método de fracionamento de doses se mostrou viável e uma abordagem promissora para proteger populações em risco que, de outro modo, não seriam protegidas.

A dosagem fracionada não é proposta para a imunização de rotina, uma vez que não há dados suficientes disponíveis para mostrar que doses mais baixas conferem proteção ao longo da vida. Atualmente, há estudos em andamento para determinar a proteção a longo prazo fornecida por doses fracionadas.

Quando o método de doses fracionadas deve ser utilizado?

O uso de doses fracionadas é a melhor maneira de estender o suprimento de vacinas e proteger o maior número possível de pessoas para impedir a propagação da febre amarela em situações de emergência. Com base nas evidências disponíveis, Grupo Consultivo Estratégico de Especialistas (SAGE) sobre Imunização da OMS afirma que uma dose fracionada pode ser usada, como parte de uma resposta em caráter excepcional, quando há risco de um grande surto e escassez de vacinas.

A dose de emergência é válida para emissão de certificado internacional de vacinação contra a febre amarela?

A dose fracionada não dá direito a um certificado de febre amarela válido para viagens internacionais. Pessoas que quiserem fazer viagens internacionais necessitam de uma dose completa da vacina. A dose completa proporciona imunidade ao longo da vida e dá direito a um certificado internacional de vacinação contra a febre amarela.

Crianças podem receber uma dose fracionada da vacina contra a febre amarela?

Não existem dados disponíveis que demonstrem que uma dose fracionada da vacina contra a febre amarela em crianças com menos de dois anos de idade fornecerá a mesma proteção que a dose completa. Crianças muito novas podem ter uma resposta imunológica mais fraca à vacina do que pessoas mais velhas. Portanto, as crianças com menos de dois anos de idade devem receber uma dose completa.

Como os registros de vacinação serão mantidos?

A OMS recomenda que os países que decidam usar doses fracionadas mantenham registros adequados de vacinação das pessoas que recebam essa dose. É importante que elas sejam acompanhadas e, mais tarde, avaliadas quanto ao tempo de proteção que a vacina ofereceu – e, se necessário, serem revacinadas. Essas pessoas precisarão ser informadas de que receberam a dose fracionada e necessitarão de uma dose completa da vacina se desejarem viajar.

Existe um risco maior de efeitos adversos na aplicação de uma dose fracionada da vacina?

A dose fracionada provém da mesma vacina de dose completa. Foi aplicada em milhões de pessoas para prevenir a febre amarela no passado. É tão segura e eficaz quanto a dose completa da vacina.

Eventos adversos graves após uma dose completa de vacina contra a febre amarela são extremamente raros (menos de um por um milhão de pessoas). Não há evidências de aumento dos eventos adversos graves quando se utiliza uma dose fracionada.

Esse método já foi usado para outras vacinas?

Atualmente, a dose fracionada está sendo utilizada para a vacina inativada contra a poliomielite (IPV), raiva e Bacillus Calmette-Guérin (BCG), uma vacina usada principalmente contra a tuberculose.

Confira a lista dos municípios brasileiros com recomendação de vacinação

Confira a lista das cidades brasileiras da campanha de vacinação com dose fracionada