tabaco dia mundial 2019 inca31 de maio de 2019 – As medidas de controle do tabaco adotadas pelo Brasil foram elogiadas nesta sexta-feira (31), Dia Mundial Sem Tabaco, pela Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), em uma cerimônia no prédio-sede do Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), na cidade do Rio de Janeiro.

“Para mim, é uma honra poder comemorar esta data no Brasil, país que conta com tantos entes parceiros trabalhando contra o tabagismo e em prol da saúde da população. É maravilhoso ver governos, organizações não governamentais e defensores da causa tão determinados a implementar a Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco”, afirmou a representante da OPAS/OMS no Brasil, Socorro Gross Galiano.

A campanha para o Dia Mundial Sem Tabaco deste ano ressalta como esse produto põe em perigo a saúde pulmonar e enfatiza a importância da implementação de políticas efetivas para reduzir seu consumo e a exposição à fumaça dele derivada.

De acordo com Socorro Gross Galiano, o tabagismo compromete também o desenvolvimento dos países. A nível mundial, os gastos diretos com saúde e indiretos (por perda de produtividade) chegam a mais de 1 trilhão de dólares.

“É um volume absurdo de recursos desperdiçados. E, por isso, faço questão de aplaudir mais uma vez a importante decisão do governo brasileiro de entrar na Justiça para pedir ressarcimento às maiores fabricantes de tabaco do país. Elas têm sim uma grande responsabilidade pelo sofrimento da população e pelos gastos da rede pública de saúde com tratamento de doenças relacionadas ao tabaco. Essa ação do Brasil serve de exemplo para outros países, tanto para incentivá-los a tomar medidas semelhantes quanto para subsidiá-los com argumentos jurídicos”, defendeu.

Uma morte a cada 4 segundos
O consumo de tabaco causa um grande impacto na saúde, matando uma pessoa a cada quatro segundos no mundo e uma pessoa a cada 34 segundos nas Américas. Isso representa um total de oito milhões de mortes em todo o planeta a cada ano, com quase um milhão delas concentradas no continente americano. Mais da metade dos casos de câncer de pulmão e de doença pulmonar obstrutiva crônica estão relacionados ao tabaco.

Convenção-Quadro
A Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco (CQCT) responde de maneira forte e combinada à epidemia global do tabaco e suas implicações para a saúde, sociais, ambientais e econômicas.

Para ajudar os países a implementá-la, a OMS introduziu as medidas MPOWER, que incluem vigilância do consumo do tabaco e políticas de prevenção; proibição do consumo de tabaco em espaços públicos fechados, locais de trabalho e transportes públicos; apoio para que as pessoas possam parar de fumar; advertências de saúde de grande tamanho em todos os produtos derivados do tabaco; proibição da publicidade, promoção e patrocínio do tabaco; e aumento de impostos sobre o tabaco.

A adoção da Estratégia e do Plano de ação para fortalecer o controle do tabaco nas Américas, de 2018 a 2022, por todos os países da região confirmou o compromisso dos Estados Membros da OPAS com a saúde pública.

ODS
O controle do tabaco contribui para o cumprimento das metas globais dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Mais especificamente, aquelas relacionadas à prevenção e controle das doenças crônicas não transmissíveis, da tuberculose e da poluição do ar.