150720 covax15 de julho de 2020 – Setenta e cinco países manifestaram interesse em aderir ao mecanismo COVAX, projetado para garantir o acesso rápido, justo e equitativo às vacinas contra COVID-19 em todo o mundo.

Os 75 países que financiariam as vacinas com seus próprios orçamentos públicos, fecharam parceria com até 90 países de baixa renda que poderiam ser apoiados por meio de doações voluntárias ao Gavi’s COVAX Advance Market Commitment (AMC). Junto, esse grupo de até 165 países representa mais de 60% da população do mundo. No grupo, há representantes de todos os continentes e mais da metade das economias mundiais do G20.

"O COVAX é a única solução verdadeiramente global para a pandemia de COVID-19", afirmou Seth Berkley, CEO da Gavi, the Vaccine Alliance. “Para a grande maioria dos países, se podem pagar suas próprias doses ou precisar de assistência, isso significa receber uma parcela garantida de doses e evitar serem empurrados para o fim da fila, como vimos durante a pandemia de H1N1, uma década atrás. Mesmo para os países que conseguem garantir seus próprios acordos com os fabricantes de vacinas, esse mecanismo representa, por meio de seu portfólio líder mundial de candidatos a vacinas, um meio de reduzir os riscos associados às vacinas candidatas que não demonstram eficácia ou obtêm licença”.

O mecanismo COVAX (COVAX Facility) é uma parte essencial do pilar COVAX do acelerador de acesso a ferramentas contra a COVID-19, uma colaboração global inovadora para acelerar o desenvolvimento, a produção e o acesso equitativo aos testes, tratamentos e vacinas para COVID-19. A COVAX é coliderada pela Gavi, Coalition for Epidemic Preparedness Innovations (CEPI) e OMS, que trabalham  em parceria com fabricantes de vacinas de países desenvolvidos e em desenvolvimento. A COVAX visa acelerar o desenvolvimento e a fabricação de vacinas contra a COVID-19 e garantir acesso justo e equitativo a todos os países do mundo.

Isso será alcançado compartilhando os riscos associados ao desenvolvimento de vacinas, investindo na fabricação antecipada para que as vacinas possam ser implantadas em escala assim que tiverem sucesso comprovado e reunindo poder de compra e compra para atingir volumes suficientes para encerrar a fase aguda da pandemia até 2021.

"Esse nível inicial de interesse representa um tremendo voto de confiança no COVAX e nosso objetivo comum de proteger as pessoas em todo o mundo por meio da alocação justa de uma vacina contra a COVID-19", disse Richard Hatchett, CEO da CEPI. “O COVAX oferece uma solução inovadora para a mais grave crise de saúde pública na memória viva. Isso acelerará a disponibilidade de vacinas seguras e eficazes por meio de investimentos iniciais em capacidade de fabricação e maximizará as chances de sucesso, apoiando um amplo e diversificado portfólio de candidatos a vacinas. Por meio do COVAX, nossa aspiração é poder vacinar os 20% mais vulneráveis da população de todos os países que participam, independentemente do nível de renda, até o final de 2021. Garantir acesso justo não é apenas uma questão de equidade; é a maneira mais rápida de acabar com esta pandemia”.

O objetivo do COVAX é, até o final de 2021, fornecer dois bilhões de doses de vacinas seguras e eficazes que tenham passado na aprovação regulatória e/ou na pré-qualificação da OMS. Essas vacinas serão entregues igualmente a todos os países participantes, proporcionalmente às suas populações, priorizando inicialmente os profissionais de saúde e expandindo-os para cobrir 20% da população dos países participantes. Serão disponibilizadas doses adicionais com base na necessidade do país, vulnerabilidade e ameaça da COVID-19. O mecanismo também manterá doses para uso humanitário e de emergência, incluindo lidar com surtos graves antes que eles saiam do controle.

"A pandemia de COVID-19, como toda crise de saúde, também nos oferece oportunidades", disse Soumya Swaminathan, cientista chefe da OMS. “Uma vacina disponível e acessível a todos nos ajudará a lidar com as desigualdades de saúde sistêmicas. Precisamos que todos os países apoiem o COVAX para alcançar esse objetivo e pôr fim à fase aguda da pandemia.”

O sucesso desses esforços dependerá, em última análise, de garantir financiamento suficiente dos governos e compromissos dos fabricantes de vacinas para participar em uma escala grande o suficiente para fornecer uma solução global. As manifestações formais de interesse apresentadas não são vinculativas; o pilar COVAX começará agora um processo de consulta com todos os 165 países, sendo necessário que os países financiarem vacinas por meio de seus próprios orçamentos públicos para fornecer um pagamento adiantado e o compromisso de comprar doses até o final de agosto para garantir o envolvimento no mecanismo COVAX.

Até a presente data, foram alcançados progressos significativos pelos parceiros do COVAX, com sete das nove vacinas candidatas apoiadas pela CEPI já em ensaios clínicos. Um memorando de entendimento com a AstraZeneca também o compromete a fornecer 300 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 ao COVAX.

Além disso, em junho, a Gavi lançou o COVAX Advance Market Commitment (AMC), um instrumento de financiamento destinado a incentivar os fabricantes de vacinas a produzirem quantidades suficientes de eventuais vacinas contra a COVID-19 para garantir o acesso aos países em desenvolvimento. O AMC já levantou cerca de US$ 600 milhões, contra uma meta inicial de US$ 2 bilhões de doadores de alta renda e do setor privado. A Gavi também trabalhará com os países em desenvolvimento para garantir a disponibilidade de suprimentos, a cadeia de frio e o treinamento para alcançar grupos de alto risco.

Entre os países que manifestaram interesse estão: Argentina, Armênia, Brasil, Canadá, República Tcheca, Estônia, Finlândia, Islândia, Irlanda, Israel, Japão, Kuwait, Luxemburgo, Maurício, México, Mônaco, Montenegro, Nova Zelândia, Macedônia do Norte, Noruega, Portugal, Catar, República da Coréia, São Marinho, Arábia Saudita, Suíça, Emirados Árabes Unidos e Reino Unido.

Crédito da foto: Gorodenkoff/Shutterstock.com