predioopassite

A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) trabalha com os países das Américas para melhorar a saúde e a qualidade de vida de suas populações. Fundada em 1902, é a organização internacional de saúde pública mais antiga do mundo. Atua como escritório regional da Organização Mundial da Saúde (OMS) para as Américas e é a agência especializada em saúde do sistema interamericano. 

O organismo internacional oferece cooperação técnica em saúde a seus países membros; combate doenças transmissíveis e doenças crônicas não transmissíveis, bem como suas causas; e fortalece os sistemas de saúde e de resposta ante emergências e desastres.

A OPAS está comprometida em conseguir que cada pessoa tenha acesso à atenção de saúde da qual precisa, com qualidade, sem ter que passar por dificuldades financeiras. Em seu trabalho, promove e apoia o direito de todas e todos à saúde.

Em sua sede regional, estabelecida em Washington D.C., Estados Unidos, a OPAS/OMS lidera seus 27 escritórios em países da região e três centros especializados. Impulsiona decisões baseadas em evidências para melhorar a saúde das pessoas e promove saúde como a força motriz do desenvolvimento sustentável.

visaovaloresmissao

Unidades técnicas da OPAS/OMS no Brasil:

Capacidades Humanas para a Saúde

Coopera tecnicamente para aprimorar a gestão do Sistema Único de Saúde (SUS), com foco na qualificação da gestão do trabalho e da educação permanente dos profissionais da saúde e no desenvolvimento de ações integradas e de suporte técnico-científico para a definição de políticas de recursos humanos em saúde. Dessa forma, contribui para a adequada formação, alocação, qualificação, valorização e democratização das relações de trabalho dos profissionais da saúde. Propõe-se a fortalecer a capacidade nacional para a cooperação internacional em gestão do trabalho e educação na saúde e contribui para a consolidação de sistemas de informação de recursos humanos em níveis nacional, regional e global. 

Determinantes Sociais e Riscos para a Saúde, Doenças Crônicas Não Transmissíveis e Saúde Mental

Coopera tecnicamente com o Brasil para aperfeiçoar e desenvolver relações entre os diversos setores relacionados aos determinantes sociais e ambientais da saúde e saúde mental, a fim de gerenciar riscos que afetam a saúde e a qualidade de vida das populações, como também enfrentar as doenças crônicas não transmissíveis. 

Doenças Transmissíveis e Análise de Situação de Saúde

Coopera tecnicamente com o país para o fortalecimento das capacidades nacionais de prevenção e controle das doenças transmissíveis, de interesse nacional e de interesse para a saúde pública internacional. Também apoia na elaboração, análise, interpretação e uso permanente dos produtos da Análise da Situação de Saúde (ASIS) para o fortalecimento dos processos de tomada de decisão e de gestão nos diferentes níveis do SUS. 

Família, Gênero e Curso de Vida

Desenvolve projetos de cooperação técnica para apoiar os entes federativos na definição de políticas, programas e serviços com enfoque em gênero, raça e etnia e áreas programáticas relacionadas ao curso de vida: saúde da mulher, saúde da criança, saúde do adolescente, saúde do homem e saúde do idoso. Também aborda temas relacionados à área de etnicidade e saúde. 

Medicamentos e Tecnologia em Saúde

Desenvolve cooperação técnica com enfoque na ampliação do acesso e cobertura universal com equidade e qualidade, na produção de evidências oportunas e úteis para a tomada de decisão em saúde e no fortalecimento da pesquisa, inovação e incorporação de tecnologias em saúde. 

Sistemas e Serviços de Saúde

Coopera tecnicamente para o fortalecimento da capacidade de gestão das três esferas do SUS e da articulação do sistema e dos serviços de saúde nos diferentes níveis de complexidade, implementando redes de atenção baseadas na atenção primária de saúde, com vistas à garantia dos princípios de universalidade, integralidade e equidade. Apoia o desenvolvimento de estratégias que visam a ampliação do acesso e cobertura universal de saúde, com equidade e qualidade; o desenvolvimento da capacidade nacional de governança e gestão do SUS, incluindo os aspectos relativos ao financiamento público, equitativo, suficiente e sustentável; e o fortalecimento do processo de participação social.

Vigilância, Preparação e Resposta a Emergências e Desastres

Fornece apoio técnico ao Brasil na coordenação da resposta, no fortalecimento da capacidade laboratorial, na epidemiologia e avaliação de risco, no manejo clínico, prevenção e controle de infecções, na comunicação de risco e no gerenciamento de informações e evidências. Clique aqui para detalhamento das ações de vigilância, preparação e resposta a emergências e desastres.

Links relacionados

Portfólio de Cooperação Técnica da OPAS/OMS no Brasil

Plano Estratégico da OPAS 2014-2019

Termos de Cooperação Técnica firmados pela OPAS/OMS com o Brasil

Relatórios Técnicos dos Termos de Cooperação


Representante atual

drasocorrogrossA médica Socorro Gross assumiu o cargo de representante da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) no Brasil em 21 de dezembro de 2018.

Socorro Gross Galiano é natural da Costa Rica e possui quase 30 anos de experiência junto à OPAS/OMS. Antes de assumir o escritório no Brasil, foi representante da Organização na Nicarágua (julho de 2013 a dezembro de 2018) e chegou a atuar em outros países das Américas, como Colômbia, República Dominicana e México. De 2008 a 2013, foi subdiretora da sede da OPAS/OMS, em Washington D.C., Estados Unidos.

Médica graduada na Universidade da Costa Rica em 1982, a representante é também mestre em epidemiologia e doutora em medicina e cirurgia, tendo lecionado por três anos na Universidade do Texas. Ela atua há mais de três décadas na área de saúde pública e já trabalhou com diversos temas, entre eles cooperação internacional em saúde, fortalecimento de serviços e saúde, prevenção e controle de doenças crônicas não transmissíveis, atenção primária de saúde e acesso universal à saúde.