2019

2019-01-24 14:35:20

OPAS/OMS discute com CONASS e Conasems estratégias de cooperação técnica para fortalecimento do SUS nos estados e municípios

230119 conassconasems24 de janeiro de 2019 – A Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) se reuniu na manhã desta quarta-feira (23) com membros do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e, à tarde, com a equipe do Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems) para discutir possibilidades e estratégias de cooperação técnica que possam fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS).



2018

2018-10-31 19:33:05

Doenças Transmissíveis & Análise de Situação de Saúde

img cha vacina

A OPAS/OMS Brasil coopera tecnicamente com o país para fortalecer as capacidades nacionais de prevenção e controle de doenças transmissíveis de interesse nacional e também de doenças de interesse para a saúde pública internacional. Coopera também na elaboração, análise, interpretação e uso permanente dos produtos da Análise da Situação de Saúde (ASIS) para o fortalecimento dos processos de tomada de decisão e de gestão nos diferentes níveis do Sistema Único de Saúde (SUS). Confira as linhas de cooperação abaixo ou no menu à esquerda.

Regulamento Sanitário Internacional

O Regulamento Sanitário Internacional (RSI) é um instrumento jurídico internacional vinculativo para 196 países em todo o mundo que inclui todos os Estados Membros da Organização Mundial da Saúde (OMS). Seu objetivo é ajudar a comunidade internacional a prevenir e responder a graves riscos de saúde pública que têm o potencial de atravessar fronteiras e ameaçar pessoas em todo o mundo.

O RSI, que entrou em vigor no dia 15 de junho de 2007, exige que os países notifiquem certos surtos de doenças e eventos de saúde pública à OMS. Com base na experiência única da OMS em vigilância global de doenças, alerta e resposta, o RSI define os direitos e obrigações dos países de relatar eventos de saúde pública e estabelecer vários procedimentos que a OMS deve seguir em seu trabalho para defender a segurança pública mundial.

Principais ações da OPAS/OMS no Brasil:

  • Apoia a implementação das recomendações da OPAS/OMS relativas ao Regulamento Sanitário Internacional (RSI 2005), em consonância com as resoluções da Assembleia Mundial da Saúde;
  • Apoia o país no fortalecimento da capacidade para enfrentar doenças emergentes e reemergentes no contexto do RSI 2005, assim como das redes de laboratórios de saúde pública;
  • Coopera com o Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS)/Secretaria de Vigilância em Saúde (SVS)/Ministério da Saúde e parceiros, Secretarias Estaduais e Municipais da Saúde (SES e SMS), na detecção e análise de eventos que ocorram em território nacional, a fim de classificá-los em emergências nacionais ou internacionais e comunicar à OMS quando evidenciado o risco de disseminação para outros países;
  • Mantém uma rede de comunicação e conhecimento, entre os países, do que pode configurar risco de saúde pública para a população das Américas e dos outros continentes;
  • Apoia a qualificação de capacidades humanas para abordagem do RSI, com ênfase nos que atuam nos pontos de entrada – PoE (portos, aeroportos e fronteiras);
  • Atua em parceria com a SVS/MS no planejamento e execução dos planos operacionais de saúde para eventos de massa, ou seja, eventos definidos como atividades coletivas de natureza cultural, esportiva, comercial, religiosa, social ou política, por tempo predeterminado, com concentração ou fluxo excepcional de pessoas, de origem nacional ou internacional, segundo a Portaria MS nº 1.139, de 10 de junho de 2013;
  • Coopera na implementação Nacional do Plano de Ação Global sobre a Resistência aos Antimicrobianos da OMS, em consonância com a resolução da Assembleia Mundial da Saúde;
  • Fomenta e fortalece o intercâmbio e a cooperação técnica nacional e internacional, especialmente no âmbito da cooperação sul-sul;
  • Sistematiza, produz conhecimentos e dá visibilidade a experiências bem-sucedidas relativas ao Regulamento Sanitário Internacional.

Confira o RSI na íntegra (inglês, espanhol, árabe, chinês, francês e russo)

Perguntas e respostas sobre o RSI (inglês)

Mais informações sobre o tema.

 

Doenças tropicais negligenciadas

As doenças tropicais negligenciadas – um grupo diversificado de doenças transmissíveis que prevalecem em condições tropicais e subtropicais em 149 países – afetam mais de um bilhão de pessoas e custam bilhões de dólares às economias em desenvolvimento todos os anos. As populações que vivem em situação de pobreza, sem saneamento adequado e em contato próximo com vetores infecciosos, animais domésticos e gado são as mais afetadas.

img hanseniase

O controle efetivo dessas enfermidades pode ser alcançado quando as abordagens de saúde pública selecionadas são combinadas e entregues localmente. As intervenções são guiadas pela epidemiologia local e pela disponibilidade de medidas apropriadas para detectar, prevenir e controlar doenças. A implementação de medidas eficazes com alta cobertura contribuirá para alcançar as metas do NTD Roadmap da OMS sobre doenças tropicais negligenciadas, resultando na eliminação de muitas delas e na erradicação de pelo menos duas até 2020.

São doenças tropicais negligenciadas: úlcera de Buruli, doença de Chagas, dengue, dracunculíase (doença do verme-da-guiné), equinococose, platelmintos, tripanossomíase africana (ou doença do sono), leishmaniose, hanseníase, micetoma, filariose linfática, oncocercose, raiva, esquistossomose, helmintíase transmitida pelo solo, envenenamento por picada de cobra, tracoma, teníase e bouba.

Principais ações da OPAS/OMS no Brasil:

  • Oferece cooperação técnica ao País para o controle e eliminação de doenças negligenciadas como hanseníase, oncocercose, esquistossomose, geo-helmintíase, tracoma, doença de Chagas e filariose, em consonância à resolução do Conselho Diretor da OPAS sobre “Eliminação de Doenças Negligenciadas e outras Infecções Relacionadas à Pobreza”;
  • Coopera com o País no contexto do “Plano Integrado de Ações Estratégicas de Eliminação de Hanseníase, Filariose, Esquistossomose e Oncocercose como Problemas de Saúde Pública, Tracoma como Causa de Cegueira e Controle das Geo-helmintíase, 2011-2015”;
  • Coopera com o País nas intervenções contra as Doenças Tropicais Negligenciadas a fim de cumprir com as metas acordadas no Plano Mundial de Luta contra as Doenças Tropicais Negligenciadas, 2008-2015, em consonância com a resolução da Assembleia Mundial da Saúde;
  • Apoia o planejamento, implantação, monitoramento e avaliação das ações de vigilância, prevenção, controle e eliminação deste grupo de doenças, segundo as resoluções e diretrizes dos Programas Globais de Hanseníase e de Doenças Tropicais Negligenciadas (DTN), da OMS, e dos correspondentes programas da OPAS;
  • Apoia o País na prevenção e controle de doenças zoonóticas e no fortalecimento das políticas que cuidam da inocuidade alimentária;
  • Coopera tecnicamente na área de Leishmanioses, com o apoio do Programa Regional de Leishmanioses, para o fortalecimento da vigilância e controle dessa doença, conforme compromisso assumido pelos Estados-Membros nas Resoluções da OPAS/OMS. Além disso, a cooperação técnica ocorre por meio do apoio para aquisição de medicamentos e insumos utilizados para apoiar as ações de vigilância e controle, com ênfases ao diagnóstico e tratamento humano, vigilância e controle vetorial e vigilância e diagnóstico de reservatórios;
  • Fomenta o intercâmbio e a cooperação técnica nacional e internacional, especialmente no âmbito da cooperação sul-sul;
  • Sistematiza, produz conhecimentos e dá visibilidade a experiências e boas práticas relativas ao controle e eliminação de doenças negligenciadas e zoonoses.

Saiba mais sobre doenças tropicais negligenciadas (em inglês).



2018-10-11 13:54:05

30 anos de SUS: OPAS/OMS lança publicação sobre experiências acumuladas em sua história de cooperação técnica com Brasil

30anos sus 2030 220px11 de outubro de 2018 – No marco dos 30 anos do Sistema Único de Saúde (SUS), a Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS) lançou nesta quinta-feira (11) a versão preliminar de uma publicação que sintetiza alguns dos maiores conhecimentos e experiências acumuladas em toda sua história de cooperação técnica com o Brasil.



2018-09-24 16:08:14

Relatório Anual da Diretora da OPAS: ajudando os países a construir sistemas de saúde baseados na atenção primária à saúde

240918 56cd24 de setembro de 2018 — A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) tem colaborado com seus Estados Membros para promover a meta de “saúde universal” desde 2014, quando ministros da saúde de todos os países das Américas endossaram coletivamente esse objetivo.



2017

2017-08-16 18:55:38

Relatórios Técnicos de 2016


2016

2016-02-04 13:29:19

OPAS/OMS assina Protocolo de Intenções para Cooperação Técnica com o Conselho Federal de Farmácia


2016-02-01 19:07:53

Portfólio de cooperação técnica da OPAS/OMS no Brasil


2015

2015-07-07 00:00:00

Disponível Relatório de Gestão do ano de 2014


2015-06-15 13:26:31

Diretrizes para elaborção e gestão conjunta dos termos de cooperação técnica


2015-06-11 00:00:00

Cooperação técnica renovada


2014

2014-03-13 20:03:55

TC 65 - Cooperação Técnica Descentralizada à Secretaria de Estado de Saúde de Pernambuco


2013

2013-12-11 17:42:21

Carissa F. Etienne e Joaquín Molina visitam Secretaria de Estado da Saúde de Pernambuco e conhecem as ações da Cooperação Técnica