Intervenções Recomendadas em Saúde Mental e Apoio Psicossocial (SMAPS) durante a Pandemia. Junho de 2020

Priorizar as ações com base nas necessidades detectadas nas comunidades de isolamento preventivo e, em particular, dos grupos mais vulneráveis ​​em relação aos seguintes fatores: ciclo de vida (idosos, crianças e adolescentes), gênero, etnia , migração, pessoas em situação de rua, privação de liberdade, internamento em instituições e abrigos temporários e presença de patologias pré-existentes e crônicas

A pandemia de COVID-19 é uma ameaça de grande proporção tanto para a saúde física como para a saúde mental e o bem-estar de sociedades inteiras que se viram gravemente afetadas por essa crise, sendo esta uma prioridade que deve ser abordada com urgência. A adversidade associada às consequências socioeconômicas, ao medo do vírus e sua propagação, bem como às preocupações relacionadas, possuem um impacto importante na saúde mental da população. Este documento descreve as orientações de Saúde Mental e Apoio Psicossocial (SMAPS) fundamentais recomendadas para serem desenvolvidas de forma intersetorial nos países e nas comunidades. Para isso, propõe-se utilizar como marco de referência a pirâmide de intervenções para os serviços de SMAPS do Comitê Permanente Interagências (IASC). A pirâmide ilustra diferentes níveis de apoio que variam desde a integração de considerações sociais, de segurança e relativas às necessidades básicas, até a prestação de serviços especializados para o manejo de condições mais graves, assim como a provável dimensão de demanda para cada um dos níveis estabelecidos.