Sobre os principais resultados da BIREME no primeiro semestre de 2021

30 set 2021
tag cloud

A BIREME continua priorizando ações que visam apoiar os países com informação e evidência para a tomada de decisão em resposta à pandemia COVID-19 e cumprindo seu Plano de Trabalho Bianual (PTB) 2020-2021 caracterizado por projetos, produtos e serviços enquadrados em 4 iniciativas: (1) Gestão da informação e do conhecimento, (2) Serviços de informação, (3) Inteligência da informação em ciências da saúde; e (4) Liderança e Gestão do Centro.

No final de cada semestre, toda a Organização nos seus diferentes níveis, ou seja, as Áreas e Departamentos da Sede, Representações e Centros avaliam e refletem sobre os seus resultados e desempenho no contexto do seu PTB, portanto, mais recentemente, refere-se ao 1º semestre de 2021 do PTB 20-21, quando a BIREME destacou os principais resultados de seu programa de operação e cooperação técnica:

  • Manutenção e atualização dos produtos e serviços desenvolvidos para apoiar com informação e evidência a resposta à pandemia de COVID-19 (Vitrines do Conhecimento sobre COVID-19, Enfermagem e COVID-19, Suporte à Base de Dados da OMS sobre COVID-19, Repositórios de preprints na BVS Regional com atualização diária dos estudos sobre COVID-19 e SARS-CoV-2, Mapas de Evidência de Medicina Tradicional, Complementar e Integrativa e COVID-19, aplicativo e-BlueInfo adaptado para COVID-19, Rede de Referencistas desenvolvendo estratégias de busca sobre a COVID-19, entre outros.
  • Plano de Ação da BVS 2021, com base no resultado da aplicação do novo instrumento de avaliação de maturidade das Instâncias BVS em quatro pilares: Governança, Conteúdo, Comunicação, e Serviços e Tecnologia. Cada instância da BVS preencheu o Instrumento de Maturidade BVS lançado no início de 2021, que foi construído com base no Information Systems for Health Maturity Assessment TooI (IS4H-MM), desenvolvido pela OPAS. Isso resultou no fortalecimento da Rede BVS e na melhoria dos portais BVS, incluindo a organização e destaque de conteúdo relacionado à COVID-19. No total, 41 portais BVS destacaram conteúdo sobre a COVID-19, como estratégias de busca, Vitrines do Conhecimento, links de interesse, entre outros.
  • Ações para fortalecer as capacidades locais no acesso e uso de informação científica em saúde se realinharam por meio de sessões virtuais com as redes BVS, LILACS e Referencistas (Coordenação da Rede LILACS: 4 reuniões – 130 participantes de 17 países da América Latina e Caribe e Espanha; Equipes editoriais de periódicos indexados na LILACS: 4 reuniões virtuais – 654 participantes de 20 países da AL&C e Espanha), Indexadores: 4 reuniões virtuais – 407 participantes de 18 países da América Latina, Caribe, Espanha e Moçambique, Metodologias LILACS e BVS: 9 reuniões virtuais) – 564 participantes de 19 países da América Latina, Caribe e Moçambique, Referencistas: 12 encontros virtuais – cerca de 600 participantes de 16 países da América Latina, Caribe e Portugal e com os cursos disponíveis no Campus Virtual de Saúde Pública (CVSP) para Acesso e Uso de informação científica em saúde, que tiveram 7.600 inscritos no período de um total de 37.200.
  • Para fortalecer a publicação de resultados de pesquisa e observação clínica, o Curso de Comunicação Científica em Saúde em língua portuguesa foi lançado em abril de 2021. O curso está disponível no CVSP. No final do 1º semestre de 2021, o curso havia registrado mais de 1.000 inscrições de 20 países, incluindo, além do Brasil, países de língua portuguesa. Isso se soma ao curso em espanhol, que conta com 16 mil inscritos de 18 países.
  • Alianças e ações em nível global, principalmente com projetos em coordenação com a Unidade de Bibliotecas e Redes de Informação Digital da Sede da OMS, como a base “COVID-19 – Literatura global sobre a doença por coronavírus”, atualizada diariamente e que conta com mais de 300 mil documentos, incluindo artigos de revistas, preprints, literatura cinzenta e registros de ensaios clínicos relacionados à pandemia, acessados já por mais de 1 milhão de usuários. Outro projeto é o Global Index Medicus (GIM), que integra os Índices Medici coordenados pelos Escritórios Regionais da OMS com mais de 2,2 milhões de referências bibliográficas em saúde. Destaca também a cooperação técnica com o Escritório Regional para a África para a migração de todos os dados de seu Index Medicus para a plataforma tecnológica da BVS.
  • Lançamento da versão 2.0 do e-BlueInfo. Com novas coleções de documentos; maior visibilidade das fontes dos Ministérios da Saúde; novos gráficos e dados de interesse para os usuários; informação para profissionais de saúde de países que ainda não fazem parte da rede e-BlueInfo (opção “outros países”); coleções de diretrizes publicadas pela OPAS/OMS; acesso à evidência científica disponível na BVS utilizando os códigos da Classificação Internacional de Doenças (CID-10); informação científica e técnica relacionadas disponíveis na BVS; e novos tipos de conteúdo, como multimídia, legislação sanitária, etc. Além disso, a versão 2.0 do aplicativo oferece a opção de armazenar os documentos favoritos e visitados do usuário (mediante autenticação). Brasil, Peru, Guatemala e El Salvador compõem a rede e-BlueInfo com mais de 9.000 downloads do aplicativo. Downloads de outros países totalizam mais de 1.800.
  • Publicada a edição DeCS/MeSH 2021, com destaque para termos relacionados à COVID-19 e lançamento do DeCS Finder, um serviço inovador para pesquisadores, editores e bibliotecários no campo das ciências da saúde, que funciona online, localiza qualquer descritor, sinônimo ou qualificador do vocabulário controlado pelo DeCS/MeSH de um determinado texto em uma fração de segundos. De fevereiro a junho de 2021, o serviço foi utilizado por mais de 16.000 usuários de 71 países, que procuraram termos DeCS/MeSH em seus textos mais de 46.500 vezes. Os 10 países que mais utilizaram o buscador DeCS/MeSH durante este período são Brasil, Estados Unidos, Cuba, México, Peru, Portugal, Colômbia, Espanha, Argentina, Equador.
  • A BIREME e o Programa de Tradução do Conhecimento e Evidência (KT), ambos do Departamento de Evidência e Inteligência para Ação em Saúde (EIH), desenvolveram o EVID@Easy para selecionar a evidência científica disponível na BVS, de acordo com cada etapa do processo de tomada de decisão e que inclui a busca, seleção, avaliação e integração das melhores evidências disponíveis para determinadas condições e contextos de saúde. O EVID@Easy já foi utilizado mais de 13 mil vezes desde o início de sua operação, em março de 2021, e terá lançamento oficial em novembro de 2021.
  • Fortalecimento das operações e cooperação técnica da BIREME por meio de múltiplos convênios, acordos e ações subsidiadas com recursos financeiros: Implementação do Segundo Termo de Ajuste ao Termo de Cooperação 93 (TA2/TC93), por meio da OPAS Brasil, para o fortalecimento da BIREME; Cooperação com o TC95, em coordenação com a OPAS Brasil, para as prioridades de gestão da informação da Secretaria Executiva (via CGDI/SAA) do MS do Brasil; Desenvolvimentos coordenados com a Sede da OMS e seus Escritórios Regionais, para o desenvolvimento e manutenção da base da OMS COVID-19 e desenvolvimento e manutenção do GIM (Global Index Medicus); Formalização de Convênio com a SMS-São Paulo para a manutenção do BVS da Secretaria.
  • Gestão efetiva das operações da BIREME ainda em teletrabalho emergencial devido à pandemia de COVID-19 com ações de comunicação interna e externa, infraestrutura de TI, operação de serviços, servidores e plataformas de TIC, e manutenção de ações regulares para o desenvolvimento de competências e fortalecimento do clima organizacional.
  • Segundo Diego González, diretor da BIREME, “múltiplos foram os resultados do Centro no primeiro semestre de 2021 que foram possíveis graças ao trabalho colaborativo com uma rede de instituições comprometidas com a gestão da informação e do conhecimento, bem como a geração de evidências para a tomada de decisão em saúde e, definitivamente, pelo entusiasmo, profissionalismo e dedicação de toda a equipe da BIREME, Centro especializado da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde, que integra o Departamento de Evidência e Inteligência para Ação em Saúde (EIH)”.

     

    Notícia relacionada

    Boletim BIREME n° 57. Gestão de projetos na BIREME e a comunicação efetiva com contrapartes. https://boletin.bireme.org/pt/2021/07/03/gestao-de-projetos-na-bireme-e-a-comunicacao-efetiva-com-contrapartes/