OPAS destaca importância de que inovação em saúde beneficie a todas as pessoas e ao planeta, em conferência sobre o tema no Brasil

13 Fev 2023
Dra. Socorro Gross. Foto: Karina Zambrana/OPAS/OMS
13 Fev 2023

Rio de Janeiro, 13 de fevereiro de 2023 – A representante da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, Socorro Gross, destacou nesta segunda-feira (13/02) a importância de que a inovação seja feita com e para as pessoas, em harmonia com o meio ambiente. A declaração foi dada durante a conferência anual da Comunidade Global de Tecnologia Sustentável e Inovação (G-Stic), no município do Rio de Janeiro, Brasil. O evento segue até quarta-feira (15/02).

“Quando falamos em não deixar ninguém para trás, estamos falando também de que a sociedade civil, que hoje está aqui participando, nossas pessoas indígenas, nossas pessoas negras, nossos jovens têm que estar envolvidos na inovação”, destacou.             

Socorro Gross destacou ainda que a pandemia de COVID-19 gerou muita dor no mundo e que o momento atual é muito importante para mudanças. “A humanidade tem a possibilidade de se recuperar e se desenvolver de maneira melhor, assim como os ODS falam, com as pessoas, com equidade, saúde e justiça social”.

Durante o evento, a ministra da Saúde do Brasil disse que a pandemia prejudicou o alcance dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) e, por isso, é preciso um fazer um esforço para a recuperação, garantindo equidade em ciência, tecnologia e inovação.

"A Agenda 2030 é o melhor plano global que temos para reconstruir o mundo, e erradicar a fome. O Brasil retoma a Agenda 2030 como eixo central para a sua atuação”, destacou Nísia Trindade.

Esta é a sexta edição da G-Stic, que é considerada uma das maiores conferências de ciência, tecnologia e inovação para aceleração da Agenda 2030, e pela primeira vez está sendo realizada na região das Américas. A Fiocruz, que participa como coanfitriã desde 2018, é uma das principais organizadoras desta edição no Brasil.

“Enfatizamos a combinação ciência, tecnologia e inovação para enfrentarmos os desafios globais. É essencial compartilharmos nossas experiências e formar parcerias para alcançar esses objetivos”, destacou Mario Moreira. 

Sessão especial sobre vacinas

As sessões do evento se dividem em seis temas: Saúde, Educação, Água, Energia, Clima e Oceanos.

O painel “Desafios e Perspectivas para a Produção Local”, nos dias 14 e 15, será dividido em quatro sessões que trarão especialistas como James Fitzgerald, diretor do Departamento de Sistemas e Serviços de Saúde da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS); Lieve Fransen, consultora sênior do Centro Europeu de Políticas em Saúde; Carla Vizzotti, ministra da Saúde da Argentina; e Tiago Rocca, vice-presidente do Conselho de Membros de Fabricantes de Vacinas para Países em Desenvolvimento (DCVMN); além de representantes de outros entes internacionais.

Essa agenda tem como objetivo discutir fatores críticos de sucesso para produção local de vacinas em países em desenvolvimento, endereçando os desafios e perspectivas em relação a demanda e fornecimento, financiamento e perspectiva global em relação à propriedade intelectual e acesso.