Sete em cada 10 pessoas estão protegidas por pelo menos uma medida de controle do tabaco

31 Jul 2023
No smoking
31 Jul 2023

31 de julho de 2023 — Um novo relatório da Organização Mundial da Saúde (OMS) destaca que 5,6 bilhões de pessoas – 71% da população mundial – estão atualmente protegidas por pelo menos uma política de boas práticas em controle de tabaco – cinco vezes mais do que em 2007.

Nos últimos 15 anos, desde que as medidas MPOWER da OMS para controle do tabaco foram introduzidas no mundo, as taxas de tabagismo caíram. Sem essa redução, estima-se que poderia haver 300 milhões de fumantes a mais no mundo hoje.

O relatório da OMS sobre a epidemia global do tabaco, que conta com o apoio da Bloomberg Philanthropies, está focado em proteger o público do fumo passivo, destacando que 40% dos países agora possuem locais públicos fechados completamente livres de fumo. 

No relatório são quantificados os progressos dos países no controle do tabaco e é apontado que mais dois países, Maurício e Países Baixos, alcançaram o mais alto nível de cumprimento em todas as medidas MPOWER, um feito que apenas o Brasil e a Türkiye haviam conseguido até agora.

"Esses dados mostram que, de forma lenta, mas continua, mais e mais pessoas estão protegidas dos danos relacionados ao tabaco com políticas de melhores práticas e baseadas em evidências da OMS", disse o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus. "Felicito a Maurício por ser o primeiro país da África, e aos Países Baixos por ser o primeiro da União Europeia, a implementar o pacote completo de políticas de controle do tabaco da OMS em seu mais alto nível. A OMS está pronta para apoiar todos os países a seguirem seus exemplos e protegerem seus povos deste flagelo mortal".

Maarten van Ooijen, Secretário de Estado da Saúde, Bem-Estar e Esportes dos Países Baixos, disse: "As organizações da sociedade civil, os especialistas em saúde e os profissionais de saúde são fortes forças motrizes por trás de tudo o que conquistamos no que diz respeito ao controle do tabaco nos Países Baixos. Eles merecem os créditos pelos elogios que nosso país recebe da Organização Mundial da Saúde. Embora tenhamos alcançado progressos na redução da prevalência do tabagismo e na melhoria da nossa política de controle do tabaco, ainda temos um longo caminho a percorrer. Juntos, continuaremos lutando por uma geração livre do tabaco até 2040!"

Habilitar espaços públicos livres de fumo é apenas uma das políticas do conjunto de medidas eficazes de controle do tabaco do pacote MPOWER para ajudar os países a implementarem a Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco e conter a epidemia do tabagismo.

Ambientes livres de fumo ajudam as pessoas a respirar ar puro, protegem o público do fumo passivo mortal, motivam as pessoas a pararem de fumar, desnormalizam o tabagismo e ajudam a evitar que os jovens comecem a fumar ou a usar cigarros eletrônicos.

"Embora as taxas de tabagismo tenham diminuído, o tabaco ainda é a principal causa de morte evitável no mundo – em grande parte devido a campanhas de marketing implacáveis da indústria do tabaco", disse Michael R. Bloomberg, embaixador global da OMS para doenças e lesões não transmissíveis e fundador da Bloomberg Philanthropies. "Como este relatório mostra, nosso trabalho está fazendo uma grande diferença, mas ainda há muito a ser feito. Ao ajudar mais países a implementarem políticas inteligentes, apoiadas pela opinião pública e pela ciência, seremos capazes de melhorar a saúde pública e salvar milhões de vidas".
 
Em oito países (Etiópia, Irã, Irlanda, Jordânia, Madagascar, México, Nova Zelândia e Espanha), falta apenas uma política de MPOWER para se juntarem aos líderes no controle do tabaco.

Contudo, ainda há muito trabalho a ser feito, uma vez que 44 países permanecem descobertos por qualquer uma das medidas MPOWER da OMS e 53 países ainda não têm proibições completas de fumo em estabelecimentos de saúde. Enquanto isso, apenas cerca de metade dos países têm locais de trabalho e restaurantes livres de fumo.
  
"A OMS insta todos os países a implementarem todas as medidas do MPOWER no nível das melhores práticas para combater a epidemia de tabaco, que mata 8,7 milhões de pessoas no mundo, e a rechaçar as indústrias de tabaco e nicotina, que fazem lobby contra essas medidas de saúde pública", disse Ruediger Krech, diretor de Promoção da Saúde da OMS.  

Cerca de 1,3 milhão de pessoas morrem de fumo passivo a cada ano. Todas essas mortes são totalmente evitáveis. As pessoas expostas ao fumo passivo correm o risco de morrer de doenças cardíacas, derrames, doenças respiratórias, diabetes tipo 2 e câncer.

Este relatório demonstra que todos os países, independentemente do nível de renda, podem reduzir a demanda por tabaco, alcançar ganhos para a saúde pública e economizar bilhões de dólares em custos de saúde e produtividade.

Nota ao editor:

O 9º Relatório da OMS sobre a epidemia global do tabaco lançado hoje resume os esforços nacionais para implementar as medidas de redução da demanda mais eficazes da Convenção-Quadro da OMS para o Controle do Tabaco (CQCT da OMS) que comprovadamente reduzem o uso de tabaco. Essas medidas são conhecidas coletivamente como "MPOWER".

As intervenções MPOWER demonstraram salvar vidas e reduzir os custos com saúde. O primeiro relatório MPOWER foi lançado em 2008 para promover a ação governamental em seis estratégias de controle do tabaco em linha com a CQCT da OMS para:

  • Monitorar o uso do tabaco e as políticas de prevenção.
  • Proteger as pessoas do fumo do tabaco.
  • Oferecer ajuda para parar de fumar.
  • Alertar as pessoas sobre os perigos do tabaco.
  • Impor proibições à publicidade, promoção e patrocínio do tabaco.
  • Aumentar os impostos sobre o tabaco.

Sobre a Organização Mundial da Saúde

Dedicada a alcançar o bem-estar de todas as pessoas e guiada pela ciência, a Organização Mundial da Saúde lidera e apóia esforços em todo o mundo para oferecer a todas as pessoas, em todos os lugares, oportunidades iguais de levar uma vida segura e saudável. Somos a agência especializada em saúde das Nações Unidas, conectando nações, parceiros e pessoas na linha de frente em mais de 150 locais, com o objetivo de liderar a resposta global a emergências de saúde, prevenir doenças, abordar problemas de saúde em sua origem e expandir o acesso a medicamentos e cuidados de saúde. Nossa missão é promover a saúde, preservar a segurança mundial e atender populações vulneráveis.

Para mais informações, visite www.who.int e siga a OMS no Twitter, Facebook, Instagram, LinkedIn, TikTok, Pinterest, Snapchat, YouTube

Sobre a Bloomberg Philanthropies

A Bloomberg Philanthropies investe em 700 cidades e 150 países ao redor do mundo para garantir uma vida mais longa e melhor para o maior número possível de pessoas. A entidade se concentra em cinco áreas principais para criar mudanças duradouras: artes, educação, meio ambiente, inovação governamental e saúde pública. A Bloomberg Philanthropies reúne todas as doações de Michael R. Bloomberg, incluindo sua fundação, sua filantropia corporativa e pessoal e a Bloomberg Associates, uma consultoria gratuita que trabalha em cidades ao redor do mundo. Em 2022, a Bloomberg Philanthropies distribuiu US$ 1,7 bilhão.

Para obter mais informações, visite bloomberg.org, inscreva-se para recebimento de nossa newsletter, ou siga-nos no Facebook, Instagram, YouTube, Twitter, and LinkedIn.