Última atualização: Julho de 2021

A imunização é o processo pelo qual uma pessoa se torna imune ou resistente a uma doença infecciosa, normalmente pela administração de uma vacina. As vacinas estimulam o próprio sistema imunológico do corpo a proteger a pessoa contra infecções ou doenças posteriores. A imunização evita doenças, incapacidade e mortes por enfermidades preveníveis por vacinas, tais como câncer do colo do útero, difteria, hepatite B, sarampo, caxumba, coqueluche, pneumonia, poliomielite, doenças diarreicas por rotavírus, rubéola e tétano. 

Estima-se que se as metas de cobertura para a introdução e/ou uso contínuo de apenas 10 vacinas (contra hepatite B, Haemophilus influenzae tipo b, papilomavírus humano, encefalite japonesa, sarampo, meningococo A, pneumococo, rotavírus, rubéola e febre amarela) tiverem sido alcançadas, entre 24 e 26 milhões de futuras mortes em 94 países de baixa ou média-baixa renda podem ter sido evitadas na década de 2011-2020.

Principais fatos
Folha informativa

Perguntas e respostas sobre imunização e segurança das vacinas

O que a OPAS faz
Niño recibiendo una vacuna

O Programa Expandido de Imunização (PAI) na Região das Américas tem sido um sucesso há mais de 40 anos, sendo um líder global na eliminação e controle de várias doenças preveníveis por vacinas, como varíola, poliomielite, rubéola, síndrome da rubéola congênita, sarampo e tétano neonatal. Desde a criação do PAI, em 1997, os países passaram do uso de seis vacinas em seus esquemas nacionais de vacinação para uma média de mais de 16 vacinas, o que representa uma maior proteção para a população.