OPAS participa de lançamento de programa para melhorar qualidade de vida das pessoas idosas no município brasileiro de Irati

25 Out 2021
Evento em Irati faz parte das ações intersetoriais que vêm sendo realizadas para incluir o município na Rede Global de Cidades Amigas das Pessoas Idosas

Evento faz parte das ações do município para integrar a Rede Global de Cidades e Comunidades Amigas das Pessoas Idosas

Irati, 25 de outubro de 2021 – A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) participou, nesta segunda-feira (25), do lançamento de um programa para promover o envelhecimento saudável e melhorar a qualidade de vida das pessoas idosas no município de Irati, estado do Paraná, Brasil. O evento faz parte das ações intersetoriais que vêm sendo realizadas para incluir a localidade na Rede Global de Cidades e Comunidades Amigas das Pessoas Idosas. Atualmente, 18 municípios no Brasil e mais de mil no mundo fazem parte desse grupo.
 
A certificação foi criada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para estimular gestores públicos a promoverem medidas que propiciem mais qualidade de vida à pessoa idosa. O evento destacou também o recente lançamento na Região das Américas da Década do Envelhecimento Saudável 2021-2030, que tem como principal objetivo a construção de uma sociedade para todas as idades. Durante o evento, o especialista em Saúde Familiar e Comunitária da OPAS e da OMS, Bernardino Vitoy, ponderou que envelhecimento é uma questão que diz respeito a todos os setores. 

“A população mundial está envelhecendo e precisamos nos preparar para este fenômeno. No Brasil, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), até 2039 teremos mais pessoas acima de 65 anos que menores de 15 anos. Esta transição produzirá impactos sobre os serviços e políticas públicas, mudando o perfil da demanda, especialmente na área da saúde”, pontuou Bernardino Vitoy, além de destacar os grandes desafios que a cidade terá pela frente.

“Viemos aqui para trazer um desafio, para que os próximos dez anos sejam de ainda mais trabalho e mais realização. Que o município seja de fato um município amigo da pessoa idosa, que desenvolva dia a dia ações que melhore a vida das pessoas idosas”, finalizou o especialista da OPAS e da OMS. 

A secretária Municipal de Assistência Social de Irati, Sybil Dietrich, disse que a cidade vem investindo não só em serviços, mas na forma como pensa na pessoa idosa. “O certificado internacional de Cidade Amiga da Pessoa Idosa significa não só a construção de espaços na qualificação dos nossos serviços, mas significa muito mais que isso, uma mudança de perspectiva, uma mudança de visão de mundo, da forma como olhamos para o processo de envelhecimento”, disse. 

O Secretário Nacional de Promoção e Defesa dos Direitos da Pessoa Idosa do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do Brasil, Antônio Costa, parabenizou o município de Irati no que ele pontuou ser uma “importante caminhada”. “A Cidade Amiga da Pessoa Idosa começa quando o prefeito e as instituições querem que seu município seja amigo da pessoa idosa, por isso, o Governo Federal está começando por todo o Brasil essa caminhada”, comentou. 

Desde 2017, o município de Irati desenvolve ações, como oficinas socioeducativas, acompanhamento psicossocial e grupos de lazer e convivência, no intuito de garantir segurança, acolhida e participação social às pessoas idosas. Durante a pandemia da COVID-19, o município repensou seus serviços para não deixar a população idosa desassistida. Foi criado o disque-apoio à pessoa idosa, uma linha telefônica que permite solicitar serviços de farmácia e mercado; além do serviço de escuta, canal de comunicação que possibilita ao idoso conversar com um assistente social com o intuito de acolhimento e orientação. Ainda está prevista a construção de um complexo social que se chamará Cidade do Idoso e o Condomínio do Idoso.

“Essa rede de serviço é muito importante para que a população idosa se sinta pertencente e ativa, protagonista de sua história e da história da nossa cidade, é valorizar aqueles que contribuíram e que podem e devem continuar a contribuir com nossa sociedade”, contou a secretária Municipal de Assistência Social, Sybil Dietrich.

Cidade Amiga da Pessoa Idosa

Ao todo, 1.114 cidades e comunidades em 44 países fazem parte da rede global e já estão trabalhando para melhorar seus ambientes físicos e sociais, facilitando um ambiente que permita o envelhecimento saudável. 

Ser membro da “Rede Mundial de Cidades e Comunidades Amigas das Pessoas Idosas” da OMS não é indicativo de que a cidade ou comunidade já é um ambiente amigável e adaptado às necessidades das pessoas idosas. Essa certificação é dada como reconhecimento ao compromisso da cidade ou da comunidade em trabalhar para benefícios aos idosos, além de propiciar políticas, serviços, ambientes e estruturas que permitam melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas à medida que elas envelhecem.  

Os objetivos da rede mundial são estabelecer relações entre as cidades participantes, bem como entre elas e a OPAS/OMS; facilitar o intercâmbio de informação e boas práticas; fomentar intervenções apropriadas, sustentáveis e custo-efetivas para melhorar a vida das pessoas idosas; e proporcionar apoio técnico e capacitação.  

É importante destacar que uma Cidade Amiga da Pessoa Idosa é desenhada para todas as idades, não exclusivamente para alcançar melhorias para a população idosa. Todos são beneficiados em qualquer faixa etária e família.

Década do Envelhecimento Saudável 2021-2030

Proclamada em dezembro de 2020 pela Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU), a Década do Envelhecimento Saudável 2021-2030 pretende chamar atenção e propor que os países – a nível nacional e subnacional (municípios, estados, cantões, províncias, departamentos etc.) – se preparem e planejem mudanças, para que não sejam surpreendidos pelas demandas que o envelhecimento da população exige. O objetivo é apoiar as ações de construção de uma sociedade para todas as idades, além de promover um envelhecimento saudável e ativo. 

As iniciativas empreendidas como parte da Década buscam: mudar a forma de pensar, sentir e agir em relação à idade e ao envelhecimento; facilitar a capacidade dos idosos de participar e contribuir com suas comunidades e sociedade; prestar atenção integrada e serviços de saúde primários que atendam às necessidades do indivíduo; e prover acesso a cuidados de longa duração para pessoas idosas que deles necessitem.

A Resolução da ONU que promulgou a Década do Envelhecimento Saudável expressa a preocupação de que, apesar da previsibilidade do envelhecimento da população e do seu ritmo acelerado, o mundo não está suficientemente preparado para responder aos direitos e necessidades das pessoas idosas. Reconhece ainda que o envelhecimento da população afeta os sistemas de saúde, mas também muitos outros aspectos da sociedade, incluindo os mercados de trabalho e financeiros e a demanda por bens e serviços, como educação, habitação, cuidados de longa duração, proteção social e informação. Portanto, requer uma abordagem de toda a sociedade.

Comunicação

+55 61 3251-9581 | comunicacao@paho.org