Brasil inicia campanha de vacinação contra gripe

12 abr 2021
Lançamento da campanha de vacinação contra a gripe no Brasil

Brasília, 12 de abril de 2021 – A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) participou nesta segunda-feira (12) do lançamento da campanha de vacinação contra a gripe no Brasil. O Ministério da Saúde do país vai distribuir 80 milhões de doses da vacina influenza trivalente, produzida pelo Instituto Butantan, para imunizar um público-alvo de 79,7 milhões de pessoas. A campanha vai até o dia 9 de julho.

“Se tem algo que fazemos bem, é vacinar a nossa população, através do nosso Programa Nacional de Imunização (PNI), que é um patrimônio de cada um dos 220 milhões de brasileiros, um orgulho da América Latina. Há um ano vivemos uma grave crise sanitária internacional (a pandemia de COVID-19), que afeta também o nosso país. E, há um ano, nós fizemos uma campanha de vacinação contra a gripe muito bem-sucedida”, afirmou o ministro da Saúde do Brasil, Marcelo Queiroga, acrescentando que o país também está preparado para vacinar todos os povos indígenas aldeados.

A representante da OPAS e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, Socorro Gross, lembrou que o lançamento da campanha ocorre no âmbito da 19ª Semana de Vacinação nas Américas, que neste ano será realizada pela Organização Pan-Americana da Saúde entre os dias 24 e 30 de abril, com o lema “As vacinas nos aproximam. Vacine-se”. 

“O programa nacional de imunização do Brasil é um dos mais abrangentes que nós temos na nossa região das Américas. E não temos dúvida de que vamos atingir a meta de vacinação, não somente de influenza, mas também de todas essas vacinas que trazem vida às nossas famílias”, disse Socorro Gross.

Ela também destacou que a OPAS está advogando, junto com os países das Américas, para que a região tenha mais vacinas contra a COVID-19. “No Brasil, existem duas instituições que, para nós, são patrimônio da humanidade, a Fundação Oswaldo Cruz e o Instituto Butantã e que nos ajudam nesse sonho que nossa região precisa cumprir, que é ser mais independente na produção de vacinas. A nossa Organização está ao lado do Ministério da Saúde fazendo as tratativas para ter mais vacinas”, acrescentou.

A imunização contra a gripe no país será feita em três etapas – os municípios terão autonomia para definir as datas de mobilização (Dia D), conforme a realidade de cada região. Os grupos prioritários são:

•    crianças de 6 meses a menores de 6 anos de idade (5 anos, 11 meses e 29 dias);
•    gestantes e puérperas;
•    povos indígenas;
•    trabalhadores da saúde;
•    idosos com 60 anos ou mais;
•    professores do ensino básico e superior;
•    pessoas com doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;
•    pessoas com deficiência permanente;
•    forças de segurança e salvamento e Forças Armadas;
•    caminhoneiros e trabalhadores de transporte coletivo rodoviário de passageiros urbano e de longo curso;
•    trabalhadores portuários;
•    funcionários do sistema prisional
•    adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
•    população privada de liberdade.
 
Como duas campanhas de vacinação serão feitas simultaneamente neste ano no país (gripe e COVID-19), a orientação do Ministério da Saúde é que a vacinação contra a COVID-19 seja priorizada nos grupos prioritários.

Com isso, a população-alvo da vacinação contra gripe que ainda não recebeu doses contra a COVID-19 deve receber antes a vacina COVID-19 e fazer o agendamento da aplicação da vacina influenza, respeitando um intervalo mínimo de 14 dias entre elas.

Confira as datas para vacinação de cada grupo prioritário no vídeo abaixo:

Cepas do vírus

A gripe (influenza) pode ser leve, grave ou até fatal. Estima-se que as epidemias anuais dessa doença causem de 3 a 5 milhões de casos graves e de 290 mil a 650 mil mortes no mundo.

A medida mais eficaz para prevenir a influenza grave e suas complicações é a vacinação. Como os vírus da gripe mudam constantemente, é necessário o desenvolvimento a cada ano de novas vacinas específicas para a cepa (tipo) do vírus que está circulando. No caso do Brasil, essas vacinas são produzidas anualmente pelo Instituto Butantã.

As outras importantes ações preventivas são as mesmas que comprovadamente funcionam contra a COVID-19: limpar as mãos regularmente, evitar tocar nos olhos, nariz ou boca; manter distanciamento físico de outras pessoas; cobrir a boca e o nariz com o cotovelo ao tossir ou espirrar, inclusive de máscara.