Brasil, Guiana e OPAS unem esforços para aumentar a cobertura de vacinação nas Américas

22 Abr 2022
Vaccination Week in the Americas

Bonfim, 22 de abril de 2022 (OPAS) – Os governos do Brasil e da Guiana, em cooperação técnica com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), organizaram um evento nesta quarta-feira (20) em Bonfim, cidade localizada na fronteira entre os dois países, para aumentar a cobertura de vacinação nas Américas.

A cerimônia ocorreu no âmbito da 20ª Semana de Vacinação nas Américas (SVA), que será celebrada de 23 a 30 de abril deste ano. Com o chamado à ação “Você está protegido? Tome todas as vacinas”, o objetivo é destacar a importância de todas as pessoas manterem o calendário de vacinação em dia para prevenir mais de 25 doenças potencialmente mortais e proteger gerações inteiras ao longo de todo o curso de vida.

Graças às vacinas, a varíola foi erradicada, em 1980, e a Região das Américas foi a primeira do mundo a eliminar doenças como poliomielite (em 1994), rubéola e síndrome da rubéola congênita (em 2015) e tétano neonatal (em 2017).

“A vacinação é sem dúvida a melhor intervenção em saúde pública que temos para nossos povos. Mas, para ter efeito, todos temos que estar vacinados. Este evento mostra ao mundo a união entre países para termos populações mais saudáveis e com mais bem-estar”, afirmou a representante da OPAS e da Organização Mundial da Saúde (OMS) no Brasil, Socorro Gross, acrescentando que Guiana e Brasil têm sido muito fortes na advocacia pela vacinação no mundo, o que é fundamental para evitar o recrudescimento de doenças já eliminadas, mas ainda não erradicadas.

“Temos que convencer os pais, convencer quem precisa ser vacinado de que a vacina é boa, a vacina é segura, a vacina é necessária, não só para o indivíduo, mas para a comunidade em geral”, disse Vishwa Mahadeo, diretor-geral do Ministério da Saúde da Guiana.

“A Semana de Vacinação nas Américas é um grande esforço de países da região para aumentar as coberturas vacinais de todos os nossos países. Para além dessa campanha, estamos no Brasil com campanhas de vacinação contra influenza, sarampo e COVID-19”, afirmou o secretário de Vigilância em Saúde do Ministério da Saúde do Brasil. “Entendemos que essas campanhas são fundamentais para o controle das doenças imunopreveníveis”, acrescentou.

“O Brasil é um país que faz fronteira com quase todos os países da América do Sul e os desafios das cidades fronteiriças são muito especiais em relação às outras cidades”, ressaltou Ana Spiassi, consultora de Saúde e Nutrição do UNICEF no estado brasileiro de Roraima.

Dr. Luis Codina
Luis Codina

Luiz Felipe Codina, representante da OPAS e da OMS na Guiana, lembrou que diversas doenças não respeitam fronteiras e, por isso, é preciso trabalhar de forma conjunta. “Precisamos reconhecer o trabalho dos recursos humanos, vacinar toda a nossa população durante esta pandemia e tentar colocar toda a cobertura de vacinação em dia”, ressaltou, complementando que é possível ampliar a cooperação técnica entre os dois países. Segundo ele, além da vacinação e dos programas de controle da malária nas fronteiras, o Brasil pode compartilhar suas experiências em telemedicina e vigilância e a Guiana pode colaborar com seu conhecimento em doenças não transmissíveis.

 

Forbes July
Embaixador Forbes July

Forbes July, embaixador do Ministério das Relações Exteriores da Guiana, afirmou que a conclusão do corredor Linden/Lethem seria um divisor de águas para as relações Brasil-Guiana. “Os dois países estão em consulta para finalizar as modalidades operacionais do acordo de transporte rodoviário internacional para movimentação de passageiros e mercadorias entre Brasil e Guiana. Certamente haverá oportunidades para guianenses e brasileiros nesta nova visão de relacionamento”. Ele afirmou que as atividades desta semana são do melhor interesse da segurança da população, especialmente aqueles em ambos os lados da fronteira, e mencionou ser indicativo de uma cooperação sul-sul mais ampla.

Como parte da cerimônia, atividades culturais foram realizadas por ambos os países. Um grupo de bailarinas brasileiras fez uma apresentação de dança para o público; os estudantes da Escola de Enfermagem de Lethem realizaram uma dança multicultural que representava estilos de dança das seis raças da Guiana. Tanto os visitantes da Guiana quanto os residentes do Brasil acompanharam as duas apresentações culturais.

Colagem de atividades na Semana de Lançamento da Vacinação nas Américas 2022

Collage of images at the VWA 2022
Colagem de fotos na SVA 2022

 

Collage of images at the VWA 2022 1
Colagem de fotos na SVA 2022