Curso de vida saudável

As atuais transições demográficas, sociais e epidemiológicas, o rápido aumento da expectativa de vida, o reconhecimento dos determinantes sociais de saúde e a necessidade de superar o conceito de saúde baseado apenas na ausência de doenças, serviram para a criação de um intrincado conjunto de saúde e cenários sociais. Esses cenários expuseram diferentes necessidades de saúde e sociais para indivíduos e sociedades e, além disso, estimularam o desenvolvimento de uma perspectiva abrangente para abordagens de saúde pública.

A abordagem do curso de vida nos permite compreender melhor como as iniquidades sociais em saúde são perpetuadas e transmitidas e como elas podem ser mitigadas ou atenuadas ao longo das gerações. 

Uma abordagem de curso de vida fornece estratégias de alto impacto, baseadas em evidências e em direitos, que aplica a perspectiva da compreensão da saúde no contexto atual, priorizando a saúde daqueles que foram deixados para trás.

Principais fatos
  • A abordagem do curso de vida considera a saúde como uma capacidade em evolução que se desenvolve dinamicamente ao longo do tempo e através das gerações.
  • A saúde é um componente e um recurso fundamental para o desenvolvimento humano. Ela se desenvolve e muda ao longo do curso de vida.
  • Uma perspectiva de curso de vida ajuda a explicar os padrões de saúde e doença. Embora enfatize um início de vida saudável, também explica que nunca é tarde para melhorar a saúde.
  • Estamos vendo um novo cenário na saúde pública. A abordagem do curso de vida para a saúde pública fornece estratégias baseadas em direitos humanos para compreender a saúde no contexto atual - e priorizar aqueles que estão sendo deixados para trás.
  • Os profissionais de saúde pública podem aplicar a abordagem do curso de vida para fornecer uma perspectiva abrangente para políticas, programas e intervenções.
O que a OPAS faz

Em resposta a Agenda 2030 para o Desenvolvimento Sustentável que reforça a mobilização de esforços para proteger e melhorar a vida e as perspectivas de todos, e em todos os lugares, a Organização Pan-Americana da Saúde comprometeu-se em desenvolver e incorporar o enfoque do curso de vida em seus modelos conceituais e estratégias de cooperação técnica para assegurar o estabelecimento de um conhecimento atualizado sobre a prática da saúde pública.

Desde que a abordagem foi adotada pela primeira vez pela Organização Mundial da Saúde (OMS), ela foi sendo incorporada em várias estratégias e recomendações, incluindo: o Relatório da OMS da Situação Global das Doenças Não-Transmissíveis, o Relatório Mundial sobre Envelhecimento e Saúde e a Estratégia global para a saúde das mulheres, das crianças e dos adolescentes (2016-2030).

Na OPAS, começamos a transformar uma perspectiva de curso de vida em uma abordagem que contribui para uma mudança de paradigma na construção da saúde. No esforço de aumentar a expectativa de vida saudável, é importante não só abordar a doença, mas também buscar o máximo potencial de geração de saúde, entendida como o desenvolvimento de capacidades ou habilidades que permitam aos indivíduos e populações se desenvolverem de acordo com as suas expectativas e as demandas do ambiente onde vivem.