Dois terços da população da América Latina e do Caribe já está vacinada contra COVID-19

20 Abr 2022
Vaccinated girl
20 Abr 2022

Enquanto alguns países da região têm a maior cobertura do mundo, outros ficam para trás

Washington D.C., 20 de abril de 2022 (OPAS) – Mais de dois terços das pessoas na América Latina e no Caribe já receberam duas doses da vacina contra a COVID-19, enquanto alguns países ainda não atingiram metade de suas populações, afirmou nesta quarta-feira (20) a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, pedindo que as pessoas se vacinem e garantam que seus entes queridos também estejam protegidos.

“As vacinas contra a COVID-19 funcionam e são muito seguras”, disse a diretora na coletiva de imprensa semanal da OPAS. “Elas estão protegendo a maioria das pessoas em nossa região das piores consequências da infecção por COVID-19.”

Agradecendo os esforços dos profissionais de saúde, cientistas, formuladores de políticas e cidadãos, Etienne destacou que 14 países e territórios da região já atingiram a meta da Organização Mundial da Saúde (OMS) de vacinar 70% de suas populações antes de 30 de junho, e mais oito países alcançaram mais de 60% de cobertura.

Etienne destacou que, até este mês, o Fundo Rotatório da OPAS entregou mais de 141 milhões de doses de vacinas contra a COVID-19 em parceria com o Mecanismo COVAX e com o apoio de doadores.

No entanto, embora agora haja suprimentos suficientes de vacinas contra a COVID-19 para atender à demanda em todas as Américas, alguns países continuam ficando para trás.

A OPAS está trabalhando com os países para fornecer assistência técnica às campanhas de vacinação, bem como apoio ao planejamento e comunicação para ajudar a preencher as lacunas.

As pessoas também têm um papel a desempenhar, ressaltou Etienne. “A vacinação é um assunto de família e cabe a todos nós garantir que nossos entes queridos estejam protegidos. Se você ou um familiar ainda não se vacinaram contra a COVID-19, converse com um profissional de saúde sobre suas questões e dúvidas”, acrescentou.

Etienne também pediu aos países que integrem seus esforços de vacinação contra a COVID-19 às campanhas de imunização de rotina. Isso permitirá que as mulheres grávidas recebam a vacina contra a doença juntamente com as vacinas contra gripe e tétano, difteria e coqueluche, e também permitirá que os pais tomem as vacinas e protejam seus filhos contra doenças como sarampo e poliomielite.

Da mesma forma, a infraestrutura de emergência que foi criada para aplicar as vacinas contra a COVID-19 nos braços das pessoas o mais rápido possível também deve ser aproveitada para melhorar a vacinação de rotina, tornando-a “mais conveniente e acessível para as famílias recuperarem todas as vacinas de uma só vez, ”, disse a diretora da OPAS.

O esforço de vacinação contra a COVID-19 “nos mostrou que o sucesso é possível quando países e pessoas trabalham juntos para adotar as vacinas”, declarou Etienne.

Às vésperas da Semana de Vacinação nas Américas, que começa em 23 de abril, Etienne também pediu aos países que intensifiquem os esforços para alcançar ao menos 70% de suas populações com vacinas contra a COVID-19.

Idosos, pessoas com doenças preexistentes, profissionais de saúde e gestantes devem ser o foco principal dessas campanhas, pois correm maior risco de hospitalização e morte por COVID-19. “Vamos usar nosso conhecimento e perseverança para proteger o maior número de pessoas e salvar o maior número possível de vidas”, afirmou Etienne.

Enquanto o número de infecções por COVID-19 notificadas nas Américas caiu 2,3% esta semana e continua a diminuir, os casos aumentaram 11,2% na América do Norte e também subiram no Caribe. O número de mortes diminuiu 15,2% (para 4.797), mostrando que as vacinas estão funcionando bem para proteger as pessoas de hospitalização e morte, observou a diretora da OPAS.