Relatório quinquenal da gestão 2018-2022: defender a equidade em saúde para o desenvolvimento sustentável

26 Set 2022
Menina lugar remoto
26 Set 2022

Washington D.C. 26 de setembro de 2022 (OPAS/OMS) – Garantir que a equidade em saúde permaneça na vanguarda dos esforços para cumprir as metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável é o foco do Relatório quinquenal da gestão 2018-2022. O documento foi apresentado hoje pela diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, aos ministros da saúde e outros líderes da saúde na 30ª Conferência Sanitária Pan-Americana.

Quinquennial Report of the Director 2018-2022

O relatório, que é o último do mandato de uma década da dra. Etienne como Diretora da OPAS, resume o trabalho da Organização em todas as áreas técnicas, incluindo emergências de saúde pública, doenças transmissíveis, doenças não transmissíveis e sistemas e serviços de saúde, nos últimos cinco anos.

O relatório quinquenal destaca o impacto que a COVID-19 teve na ampliação das desigualdades existentes nas Américas, mas também enfatiza que a pandemia apresentou à região uma oportunidade de reconstruir sociedades “que não atropelam e descartam aqueles em situação de vulnerabilidade, mas em vez disso, procura ajudá-los a atingir níveis ótimos de saúde e bem-estar físico, mental e espiritual”.

Embora a COVID-19 tenha desacelerado o progresso da região em direção às metas de saúde, ela não nos quebrou, e nos proporcionou muitas lições e experiências que podemos usar para redobrar nossos esforços e recuperar retrocessos em algumas áreas”, disse dra. Etienne.

Além da pandemia da COVID-19, a resposta a emergências e desastres em saúde foram elementos centrais do trabalho da Organização nos últimos cinco anos. Isso inclui o desenvolvimento da rede de hospitais inteligentes, que começou em 2015, e desde então modernizou 50 unidades de saúde no Caribe de forma segura, ecológica e resiliente a desastres relacionados ao clima.

Embora a cobertura de Difteria-Coqueluche-Tétano (DTP3) tenha caído de 84% em 2019 para 80% em 2021, devido a bloqueios e foco na vacinação contra COVID-19 na região, a imunização de rotina continua sendo um foco importante da cooperação da OPAS. “As vacinas funcionam tão bem que muitas pessoas não estão familiarizadas com as doenças que foram prevenidas, doenças que foram um flagelo entre as populações, especialmente as crianças”, disse o dra. Etienne. “Não queremos ver repetidos esses resultados trágicos”.

A contribuição do Fundo Rotativo da OPAS para Acesso a Vacinas também é um elemento-chave do relatório, tanto para garantir o acesso às vacinas COVID-19 para a região, como também por seu papel fundamental na rápida ampliação dos portfólios gerais de vacinas dos Estados Membros. Em 2021, o valor das compras feitas pelo Fundo Rotativo em nome dos Estados Membros atingiu US$ 1.075,6 milhões.

O relatório também refletiu o trabalho contínuo da OPAS para garantir a cobertura universal de saúde, incluindo o Pacto Regional de Atenção Primária à Saúde para a Saúde Universal, APS 30-30-30, lançado em abril de 2019, bem como o esforço contínuo da organização para a eliminação de doenças como Malária, Tracoma, Filariose linfática, Chagas e outras.

Ao longo dos últimos cinco anos, a OPAS também deu grandes passos na prevenção e controle de doenças não transmissíveis, incluindo a defesa de políticas para aumentar os impostos sobre produtos não saudáveis, como tabaco, álcool e bebidas açucaradas, e intensificar as intervenções vinculadas a Convenção-Quadro para o Controle do Tabaco.

Refletindo sobre o aniversário de 120 anos da OPAS em 2 de dezembro de 2022, o dra. Etienne enfatizou que, embora muitos passos tenham sido dados na jornada para a saúde e a sustentabilidade equitativas, há muitos mais a serem dados.

E enquanto muitos veem palavras como 'equidade', 'direitos humanos' e sustentabilidade' como simples chavões, “os Estados Membros da OPAS e a Repartição Sanitária Pan-Americana os levam muito a sério”, disse ela.

“A OPAS continua vibrante, inovadora e ansiosa para aprender, pronta para aproveitar os sucessos e enfrentar os desafios emergentes, com pessoal e parceiros dedicados ao serviço da saúde dos povos das Américas”, destacou o dra. Etienne.

“Passo o bastão nesta maratona de revezamento para os próximos 120 anos de serviço da OPAS”, disse ela. “E desejo ao próximo diretor da OPAS e à equipe da Repartição Sanitária Pan-Americana todo o sucesso em sua gestão e contribuição para a saúde dos povos das Américas e o desenvolvimento sustentável da região”.