Novos parâmetros de referência da OMS ajudam países a reduzir a ingestão de sal e salvar vidas

5 Maio 2021
redução sal

Genebra, 5 de maio de 2021 – A maioria das pessoas consome o dobro dos 5g diários de sal recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), colocando-se em maior risco de doenças cardíacas e acidentes vasculares cerebrais (derrames), que matam cerca de 3 milhões de pessoas a cada ano.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) lançou nesta terça-feira (4) um novo conjunto de referências globais para os níveis de sódio em mais de 60 categorias de alimentos que ajudarão os países a reduzir o teor de sódio nos alimentos para melhorar a alimentação e salvar vidas.

O guia “WHO Global Sodium Benchmarks for Different Food Categories” é direcionado a países e indústrias para reduzir o teor de sódio em diferentes categorias de alimentos processados. Em todo o mundo, o consumo de alimentos processados é uma fonte de sódio em rápido crescimento.

Surpreendentemente, produtos alimentícios processados semelhantes geralmente contêm diferentes quantidades de sódio em muitos países. As referências globais da OMS mostrarão aos países como podem reduzir progressivamente suas metas, com base em seus ambientes alimentares locais, e incentivar a indústria a reduzir o teor de sódio em alimentos processados e avançar em direção à meta da OMS de redução de 30% na ingestão global de sal/sódio até 2025.

“A maioria das pessoas não sabe quanto sódio consome ou os riscos que isso representa”, disse Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS. “Precisamos que os países estabeleçam políticas para reduzir a ingestão de sal e forneçam às pessoas as informações de que precisam para fazer as escolhas alimentares certas. Também precisamos que a indústria de alimentos e bebidas reduza os níveis de sódio nos alimentos processados. As novas referências da OMS oferecem aos países e à indústria um ponto de partida para revisar e estabelecer políticas para transformar o ambiente alimentar e salvar vidas.”

As referências globais de sódio da OMS têm como alvo uma ampla gama de categorias de produtos alimentícios processados e embutidos que contribuem significativamente para dietas excessivamente salgadas. Pães processados e embalados, salgadinhos, salgados, produtos derivados de carne e queijos estão entre as categorias de produtos alimentícios com alto teor de sódio identificadas para as novas referências.

Reduzir o teor de sódio por meio da reformulação de alimentos processados é uma estratégia comprovada para reduzir o consumo de sódio pela população, principalmente em locais onde o consumo de alimentos processados é alto. Também pode impedir que alimentos processados se tornem uma fonte importante de sódio em países onde o consumo desses alimentos industrializados pode estar aumentando rapidamente.

No Reino Unido, metas voluntárias para fabricantes de alimentos reformularem produtos diminuíram a ingestão de sal por adultos em aproximadamente 15% entre 2003 e 2011, indicando que o estabelecimento de metas em várias categorias de alimentos pode alcançar reduções significativas no consumo de sódio.

“O acesso a alimentos saudáveis é extremamente importante para todas as pessoas em todos os países”, afirmou Tom Frieden, presidente e CEO da Resolve to Save Lives, uma iniciativa da Vital Strategies. “Essas referências globais são um primeiro passo importante. À medida que os gostos dos consumidores se ajustam e a tecnologia avança, os governos dos países e a OMS podem reduzi-los de forma constante ao longo do tempo até que as metas de diminuição de sódio da população sejam alcançadas. Quando reduzimos o sódio gradualmente, nossa comida ainda terá um gosto ótimo, e somente nosso coração saberá a diferença!”

Estas novas referências são lançadas durante um ano decisivo para a política alimentar e nutricional. A Cúpula dos Sistemas Alimentares das Nações Unidas, em setembro, e a Cúpula de Nutrição para o Crescimento, em dezembro, reunirão uma ampla gama de partes interessadas para transformar os sistemas alimentares, proporcionando oportunidades para esforços nacionais, regionais e globais para melhorar o ambiente alimentar e fazer compromissos, incluindo a limitação do sódio em alimentos processados.