• COVAX shipments

Entregas de vacinas contra a COVID-19 adquiridas pelo COVAX aceleram

17 mar 2021

Diretora da OPAS informou que 728 mil doses serão entregues a cinco países nas Américas nos próximos dias

Washington D.C., 17 de março de 2021 (OPAS) – As entregas de vacinas contra a COVID-19 estão ganhando velocidade nas Américas à medida que mais países se preparam para a chegada iminente de doses adquiridas por meio do COVAX, o mecanismo global para distribuição equitativa de vacinas, afirmou nesta quarta-feira (17) a diretora da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Carissa F. Etienne.

Durante a coletiva de imprensa semanal da OPAS, Etienne informou que, nos próximos dias, o Fundo Rotatório da Organização entregará 728 mil vacinas contra a COVID-19 adquiridas por meio do COVAX para cinco países da região. A OPAS fez, ao todo, um pedido de mais de 3,4 milhões de doses.

“Para todos esses países - mesmo aqueles que receberam pequenas doações no início deste mês - essas entregas do COVAX permitirão o início de esforços constantes de vacinação”, disse Etienne. “Estamos felizes que as vacinas do COVAX estejam sendo distribuídas, mas reconhecemos que a necessidade de mais vacinas e o quanto antes é grande nas Américas”.

A diretora da OPAS ressaltou que apenas dois fabricantes de vacinas estão despachando milhões de doses para dezenas de países ao redor do mundo. “Este é um gargalo que ainda nos impede de levar vacinas para todos os países ao mesmo tempo”, argumentou. “Mas os envios se tornarão mais regulares à medida que mais doses estiverem disponíveis pelo COVAX nos próximos meses.”

Os próximos embarques para cinco países seguem a entrega de 400 mil doses de vacinas adquiridas pelo COVAX para a região, incluindo Peru, Guatemala, El Salvador, Honduras e Jamaica. A Colômbia recebeu doses adquiridas pelo mecanismo por meio de um programa piloto no início deste mês.

O COVAX é um esforço global entre a Coalizão para Inovações em Preparação para Epidemias (CEPI), a Gavi Vaccine Alliance e a Organização Mundial da Saúde (OMS), trabalhando em parceria com o UNICEF como parceiro chave para implementação. Nas Américas, o Fundo Rotatório da OPAS é o agente de compras reconhecido para o COVAX. Trinta e seis países das Américas estão participando do mecanismo.

Com as campanhas de vacinação contra a COVID-19 em andamento em toda nossa região, estamos no início do fim desta pandemia. Mas, embora haja motivos para esperança, devemos também lembrar que as doses são limitadas e levarão vários meses até que possamos contar com vacinas para controlar esse vírus.”

Etienne ressaltou que, à medida que as vacinas são administradas, “o objetivo deve ser salvar o maior número de vidas possível, priorizando as doses iniciais para aqueles que estão em maior risco de infecção. Profissionais de saúde que estão tratando pacientes com COVID-19, pessoas idosas e aquelas que vivem com doenças pré-existentes devem vir em primeiro lugar”. No total, quase 1,3 milhão de pessoas foram infectadas com a COVID-19 nas Américas na semana passada e quase 31 mil morreram por causa do vírus.

As nações caribenhas também aguardam a chegada de vacinas. Quinze países caribenhos receberão pouco mais de 2,1 milhões de doses de vacinas adquiridas pelo COVAX até maio, de acordo com os dados de alocação fornecidos para a primeira rodada de entregas. “Na próxima semana, esperamos que muitos países do Caribe comecem a ver os primeiros carregamentos do COVAX chegarem”, afirmou a diretora da OPAS.

Uma quarta vacina, produzida pela Johnson & Johnson, foi autorizada pela OMS, que emitiu uma Licença de Uso Emergencial (EUL) na semana passada. O COVAX garantiu mais de 100 milhões de doses da vacina para 2021 e até 500 milhões até 2022, com entregas previstas para julho. A vacina, que confere proteção em dose única, promete acelerar os esforços de vacinação.

Quase 138 milhões de doses foram fornecidas nas Américas, mas até o momento, apenas 28 milhões de doses dessas vacinas foram administradas às populações da América Latina e do Caribe.

Etienne advertiu que os países devem manter as medidas de saúde pública - lavagem das mãos, distanciamento social e uso de máscaras. Mesmo as pessoas que foram vacinadas devem aderir às medidas, aconselhou. “Parar esta pandemia exigirá que limitemos novas infecções e expandamos o acesso às vacinas. Portanto, não devemos baixar a guarda agora. Devemos manter a esperança viva.”

Mesmo com a chegada das vacinas, Etienne observou que o vírus está acelerando sua propagação em cerca de metade dos países das Américas.

O número de casos está aumentando em muitos países da América do Sul, incluindo Uruguai, Equador e Venezuela. “Na semana passada, o sistema de saúde do Paraguai emitiu um alerta urgente, pois os hospitais estavam lotados de pacientes com COVID-19”, disse Etienne. “Grandes cidades como Lima e Rio de Janeiro impuseram toques de recolher e lockdowns para controlar os picos recentes.”

No Brasil, várias áreas apresentam infecções recordes e os leitos hospitalares estão quase lotados em mais da metade dos estados. O país está notificando o segundo maior número de mortes diárias por COVID-19 no mundo.

Novas infecções estão diminuindo nos Estados Unidos e no México, enquanto os casos aumentam no Canadá, especialmente entre jovens adultos. No Caribe, as novas infecções estão diminuindo, mas muitas ilhas estão registrando um aumento nas mortes relacionadas ao novo coronavírus.