OPAS, Governo de Pernambuco e Ministério da Saúde do Brasil reforçam a parceria para prevenção e eliminação do câncer do colo do útero

19 Dez 2023
Reunião
19 Dez 2023

Recife, 19 de dezembro de 2023 – O Governo do Estado de Pernambuco (PE), o Ministério da Saúde do Brasil e a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) assinaram, na segunda-feira (18/12), no Palácio do Campo das Princesas, em PE, um Termo de Ajuste para fortalecer a cooperação e impulsionar a ampliação do Projeto Útero é Vida para todo o país. Na ocasião, o diretor da OPAS, Jarbas Barbosa, destacou a importância do Projeto e chamou a atenção para os esforços dos Estados-Membros da Organização na Estratégia de Eliminação de mais de 30 doenças transmissíveis e condições relacionadas na região das Américas, entre elas, a eliminação do câncer de colo do útero.

“A experiência de Pernambuco é muito importante e contribui para mostrar que é possível eliminar o câncer de colo de útero e garantir o acesso a prevenção, diagnóstico e tratamento com eficiência”, disse o diretor da OPAS.

Nos últimos anos, o Programa Útero é Vida tem atuado em Pernambuco a partir de três perspectivas: o aprimoramento da Linha de Cuidado do Câncer de Colo do Útero, a expansão da vacinação contra o HPV, e a estruturação para o rastreamento organizado das mulheres com o desenvolvimento de um teste nacional para detecção de HPV por PCR.

O teste molecular é produzido nacionalmente pelo Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), com apoio do governo de Pernambuco. Recentemente foi validado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e traz autonomia para produção e distribuição do teste, de plataforma aberta e com baixo custo para apoio à incorporação tecnológica e à instauração do rastreamento organizado no SUS.

“Estamos realizando um trabalho em conjunto, para que possamos tirar Pernambuco da liderança de mortes por câncer de colo do útero no Brasil. O Programa Útero é Vida tem conseguido avançar nas áreas de maior incidência, como o Recife e a Zona da Mata Sul”, enfatizou a governadora de Pernambuco Raquel Lyra.

A partir de janeiro de 2024, o Programa Útero é Vida entrará na 2ª fase com a realização de atividades em oito novos municípios da III Região de Saúde do estado e na cidade de Jaboatão dos Guararapes. O coordenador-geral da Política Nacional de Prevenção e Controle do Câncer do Ministério da Saúde, Fernando Maia, falou que o Programa em Pernambuco permite a análise da implantação em território real “que vai ser fundamental para a ampliação da iniciativa e a construção da nova diretriz de rastreamento para o câncer de colo do útero no Brasil de forma factível”.

Durante a reunião, a Secretaria de Saúde de Pernambuco apresentou resultados preliminares do programa e o planejamento para o próximo ano. A partir de janeiro de 2024, o Programa entrará na segunda fase com a realização de atividades em oito novos municípios da III Região de Saúde de PE e na cidade de Jaboatão dos Guararapes.  De acordo com a secretária estadual de Saúde, Zilda Cavalcanti, Pernambuco tem aumentado a cobertura vacinal de HPV com o projeto Vacina nas Escolas. “Estamos realizando a busca ativa de mulheres com teste genético para diagnóstico precoce da infecção, podendo intervir em uma doença que é completamente prevenível. Seguimos com o objetivo de reduzir a mortalidade por câncer de colo do útero no Estado”, afirmou a secretária.

A representante da OPAS e da OMS no Brasil, Socorro Gross, destacou que para OPAS é motivo de orgulho fazer parte do Projeto Útero é Vida. “Poder identificar e tratar o câncer de colo do útero com agilidade faz muita diferença na resposta ao câncer e é uma questão de equidade.

A reunião também contou com a presença do diretor-presidente do IBMP, Pedro Barbosa; do chefe de gabinete da Secretaria de Relações Institucionais do governo federal, Mozart Sales; da superintendente-geral do Instituto de Medicina Integral Professor Fernando Figueira (IMIP), Tereza Campos; da coordenadora da Unidade de Determinantes da Saúde, Doenças Crônicas não Transmissíveis e Saúde Mental do escritório da OPAS no Brasil, Elisa Prieto; da consultora de Doenças Crônicas Não Transmissíveis da OPAS e da OMS Larissa Veríssimo; e da coordenadora técnica do Programa Útero é Vida, Letícia Katz.

Câncer de Colo do Útero

O câncer de colo do útero é uma doença evitável, mas que tem alta incidência e mortalidade, sendo o quarto tipo mais comum entre as mulheres no mundo, com mais de meio milhão de novos casos por ano e responsável por 311 mil mortes.

No Brasil, é o terceiro tipo de câncer mais frequente e a quarta causa de óbito por câncer entre as mulheres – principalmente as negras, pobres e com baixos níveis de educação formal. Especificamente em Pernambuco, a doença mata quase uma mulher por dia.