• rapid antigen test

Testes rápidos de antígenos estão chegando aos países das Américas para auxiliar na resposta à COVID-19 

10 nov 2020

Com o apoio da OPAS, quatro países avançam na implementação de testes-piloto de novos diagnósticos

Washington D.C., 10 de novembro de 2020 – A Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) enviou uma doação de 190 mil novos testes diagnósticos de antígeno para COVID-19 a quatro países da América Latina e do Caribe e está realizando um treinamento para implementar o teste-piloto de sua operação.

De seu estoque de logística no Panamá, a OPAS despachou 80 mil testes para o Equador, 40 mil para El Salvador, 40 mil para Honduras e 30 mil para o Suriname. Além disso, a OPAS está capacitando pessoal para realizar testes-piloto em implementação no Equador, El Salvador, Suriname e no México, que está recebendo testes pela OMS.

Esses novos testes, recentemente aprovados pela OMS, podem transformar a resposta à COVID-19 na região, permitindo que profissionais de saúde realizem testes precisos e rápidos para pacientes sintomáticos, mesmo em comunidades remotas. Os testes rápidos de antígeno são mais precisos para determinar se alguém está infectado no momento, ao contrário dos testes rápidos de anticorpos, que podem mostrar quando alguém teve COVID-19, mas geralmente fornecem um resultado negativo durante os estágios iniciais da infecção.

A OPAS está ajudando os países a implementarem novos protocolos de teste para garantir que os profissionais de saúde saibam como usar os novos diagnósticos e notificar seus resultados. Consultas e treinamentos sobre a implementação do teste rápido de antígeno estão sendo realizados na Jamaica e na Venezuela, bem como em Honduras, Costa Rica e Trinidad e Tobago.

“Ao fornecer resultados rapidamente, o novo teste capacitará os profissionais de saúde da linha de frente a melhor administrar os casos, isolando os pacientes para prevenir a propagação e começar o tratamento imediatamente”, disse recentemente a diretora da OPAS, Carissa F. Etienne. “Se for amplamente distribuído, este novo teste transformará nossa resposta à COVID-19.” Etienne acrescentou que esses testes diagnósticos serão particularmente úteis em áreas de difícil acesso, que foram desproporcionalmente impactadas pela pandemia e que não têm acesso fácil a um laboratório.

O Fundo Estratégico da OPAS, um mecanismo regional de cooperação técnica para a aquisição conjunta de medicamentos essenciais e suprimentos de saúde, está trabalhando com os países para facilitar o acesso aos testes rápidos de antígeno.

Os testes de diagnóstico PCR, que são altamente precisos e devem ser realizados em laboratório, continuam sendo o padrão ouro, embora o tempo para recebimento de seus resultados seja mais demorado. Os testes de detecção de antígenos não substituem o PCR, mas complementam a detecção molecular, segundo a OPAS. 

A detecção baseada em antígeno deve ser priorizada para casos suspeitos leves ou ambulatoriais e, eventualmente, para contatos de pacientes confirmados em ambientes próximos. Seu uso em outros tipos de processos, como nos portos de entrada ou na busca de casos assintomáticos, não é recomendado atualmente pela OPAS.

Esses testes fazem parte do acelerador de acesso a ferramentas contra a COVID-19 (ACT) da OMS para desenvolver, adquirir e distribuir novas ferramentas essenciais no combate à pandemia.