Comitê Executivo da OPAS termina com principais resoluções sobre questões urgentes de saúde nas Américas

25 jun 2021
Vaccination in the Americas

Acesso equitativo às vacinas, construção de sistemas de saúde resilientes e produção regional de tecnologias de saúde foram algumas das questões vitais nesta reunião de alto nível

Washington, DC, 25 de junho de 2021 (OPAS/OMS) – O Comitê Executivo da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS) concluiu sua 168ª sessão com projetos de resolução sobre questões-chave como sistemas de saúde resilientes, acesso equitativo às vacinas contra a COVID-19 e uma abordagem integral para lidar com as ameaças à saúde na interface de saúde humano-animal-ambiente, também conhecida como “Saúde Única”.

“Nossas discussões se concentraram em itens da agenda que nos permitirão terminar a pandemia e olhar para a era pós-pandemia com ênfase em uma melhor prevenção, preparação e reconstrução para um desenvolvimento sustentável holístico com atenção à equidade, solidariedade e não deixando ninguém para trás ”, afirmou a diretora da OPAS, Carissa F. Etienne, no encerramento da sessão na tarde desta quinta-feira (25).

O Comitê Executivo da OPAS é composto por nove Estados Membros - Barbados, Brasil, Cuba, Costa Rica, Equador, México, Haiti, Suriname e Estados Unidos.

A sessão do Comitê Executivo abordou o revigoramento da imunização como um bem público para a saúde universal, o aumento da capacidade de produção de medicamentos essenciais e tecnologias de saúde e a transformação digital do setor de saúde.

A declaração da imunização como um bem público global e a necessidade crítica de aumentar a conscientização sobre o potencial de salvar vidas das vacinas em um amplo espectro de defensores, desde membros da família até profissionais de saúde, é fundamental para a eliminação de doenças imunopreveníveis, bem como para proteger nossas conquistas anteriores, disse Etienne.

As discussões sobre a transformação digital do setor de saúde em nossa região foram particularmente esclarecedoras, acrescentou a diretora da OPAS. Isso, juntamente com a proposta ambiciosa de aplicação de ciência de dados e inteligência artificial e outras tecnologias emergentes, aumentará os esforços de desenvolvimento da saúde.

Um esboço de resolução sobre sistemas de saúde resilientes instou os países das Américas a avançarem na transformação dos sistemas de saúde com base na atenção primária à saúde. Também pediu que aumentassem e sustentassem os investimentos públicos em saúde.

“Não posso exagerar a necessidade urgente de priorizar a construção de sistemas de saúde resilientes”, continuou Etienne. “Para este fim, adotamos uma resolução que nos permitirá nos concentrar em uma série de questões estruturais e organizacionais não apenas para nos recuperar da crise atual, mas também para recuperar os ganhos perdidos de saúde pública e nos preparar para o futuro.”

O projeto de resolução e outros documentos serão examinados de 20 a 24 de setembro deste ano pelo Conselho Diretor, que compreende todos os Estados Membros da OPAS.