Adoção de sistemas de rotulagem nutricional frontal pode ajudar a reduzir a obesidade, doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2 e alguns cânceres nas Américas

1 Dez 2022
Sistema de rótulos frontais

Estudo revela que aumento do uso de sistemas de rotulagem nutricional frontal pode ajudar a reduzir doenças relacionadas à má nutrição

Reno, Nevada/ Washington, DC, 1 de dezembro de 2022-  A adoção das melhores práticas de rotulagem nutricional nas embalagens de alimentos, em mais países das Américas, pode ajudar a reduzir as doenças não transmissíveis (DNTs) relacionadas à má nutrição, como doenças cardiovasculares, diabetes tipo 2, pressão alta e alguns tipos de câncer na região. Isso é o que sugere um estudo recente liderado por pesquisadores da Universidade de Nevada, Reno e da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS). O estudo, publicado na quinta-feira (1/12) na Lancet Regional Health Americas, examinou a evolução dessas políticas na Região das Américas. 

Os sistemas de rotulagem nutricional frontal (FOPNL – sigla em inglês) apresentam informações nutricionais de forma clara para ajudar os consumidores a fazer escolhas mais saudáveis, como fundo contrastante para melhorar a saliência, utilização do termo “excesso” em vez de “alto em” para melhorar a eficácia, e adoção do Modelo de Perfil Nutricional da OPAS para definir melhor os pontos de corte para nutrientes.

Os sistemas FOPNL têm o objetivo de auxiliar a compreensão da população sobre o conteúdo nutricional de um produto, reduzir o consumo de alimentos ultraprocessados e processados com alto teor de gorduras, açúcares e/ou sal. 

"As primeiras evidências demonstram haver um cumprimento bem-sucedido, assim como a diminuição das compras e a reformulação de produtos e foram associadas à melhoria da qualidade da dieta, que por sua vez está associada a redução nos riscos de doenças não transmissíveis”, disse o Eric Crosbie, co-autor do estudo e professor associado da Escola de Saúde Pública da Universidade de Nevada, Reno. 

Na região das Américas, todos os 35 países discutiram sobre o FOPNL, 30 países introduziram formalmente um FOPNL, 11 adotaram um FOPNL e sete países (Argentina, Chile, Equador, México, Peru, Uruguai e Venezuela) implementaram um FOPNL.
 
"A rotulagem nutricional frontal nas embalagem evoluiu nas Américas para oferecer a melhores opções às populações", disse Fabio da Silva Gomes, co-autor do estudo e assessor regional da OPAS sobre nutrição e atividade física. "As lições e evidências acumuladas levaram os países a alcançar a excelência regulatória adotando rótulos frontais de advertência junto com o modelo de perfil nutricional da OPAS para proteger e promover a alimentação saudável e a saúde pública".
 
O estudo revelou que os sistemas FOPNL melhorados expandiram gradualmente sua presença na região, ganhando impulso nos últimos anos e evoluindo para se alinhar com as políticas de evidência e melhores práticas da OPAS para rotulagem nutricional frontal nas embalagens. Os pesquisadores recomendaram que os governos que ainda estão discutindo sobre a implementação do FOPNL sigam essas melhores práticas e continuem difundindo o FOPNL para ajudar a reduzir as DNTs relacionadas à má nutrição.    Para ler o estudo completo, disponível em inglês, espanhol e português, acesse: https://www.thelancet.com/journals/lanam/article/PIIS2667-193X(22)00217-4/fulltext.

Sobre a Universidade de Nevada, Reno

A Universidade de Nevada, Reno é uma universidade pública de pesquisa comprometida com a promessa de um futuro orientado pelo conhecimento. Fundada em 1874 em Nevada, a Universidade atende 21 mil estudantes. É uma universidade de doutorado integral, classificada como uma instituição R1, com atividades de pesquisa muito alta de acordo com a Classificação Carnegie de Instituições de Ensino Superior. Além disso, ganhou a prestigiosa classificação Carnegie Engaged, refletindo seu impacto estudantil e institucional no engajamento e serviço cívico, fomentado por amplas parcerias comunitárias e estatais. Mais de 800 milhões de dólares foram investidos em laboratórios avançados, residências e instalações do campus desde 2009. É o lar da University of Nevada, Reno School of Medicine e Wolf Pack Athletics, mantém uma missão de alcance e presença em todo o estado através de programas como a University of Nevada, Reno Extension, Nevada Bureau of Mines and Geology, Small Business Development Center, Nevada Seismological Laboratory, e faz parte do Nevada System of Higher Education. Através de um compromisso de pesquisa que melhora o mundo, o sucesso estudantil e o alcance que beneficia as comunidades e empresas de Nevada, a Universidade tem um impacto em todo o estado e ao redor do mundo. Para mais informações, visite http://www.unr.edu.

Sobre a Organização Pan-Americana da Saúde

A OPAS é a agência de saúde especializada do Sistema Interamericano e também serve como Escritório Regional para as Américas da Organização Mundial da Saúde (OMS), a agência de saúde especializada das Nações Unidas. Ela trabalha com países de toda a região para melhorar e proteger a saúde das pessoas, fornecendo cooperação técnica a seus países membros para combater doenças transmissíveis e não transmissíveis e suas causas, fortalecer os sistemas de saúde e responder a emergências e desastres. Através de seu trabalho, a OPAS promove e apoia o direito de todos à saúde. Para promover estes objetivos, a OPAS trabalha em parceria com ministérios da saúde e outras agências governamentais, organizações da sociedade civil, outras agências internacionais, universidades, agências de seguridade social, grupos comunitários e outros parceiros. A OPAS estabelece prioridades regionais de saúde e mobiliza ações para enfrentar problemas de saúde que não respeitam fronteiras e que, em muitos casos, ameaçam a sustentabilidade dos sistemas de saúde. Para mais informações, acesse: https://www.paho.org/es/quienes-somos.