Diretor da OPAS e Ministros da Saúde das Américas discutem fortalecimento da Atenção Primária à Saúde

5 Abr 2023
Paciente fala com médico
5 Abr 2023

O diálogo de alto nível para marcar o Dia Mundial da Saúde buscou motivar ações para enfrentar de forma sustentável os desafios de saúde da Região, fortalecendo o primeiro nível de atenção

Washington D.C., 5 de abril de 2023 (OPAS) – O diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), dr. Jarbas Barbosa, participou de um diálogo de alto nível com Ministros da Saúde e outros líderes de saúde das Américas para discutir maneiras de fortalecer e transformar os sistemas de saúde da região, focando na Atenção Primária à Saúde para enfrentar os desafios atuais e preparar-se para futuras emergências de saúde.

O evento “Saúde para todas as pessoas: fortalecimento da atenção primária à saúde para construir sistemas resilientes” ocorreu, na quarta-feira (5/04), como parte das comemorações do Dia Mundial da Saúde e para homenagear a Organização Mundial da Saúde (OMS) que completa 75 anos de criação. O diretor da OPAS foi acompanhado pela dra. Nisia Trindade Lima, ministra da Saúde do Brasil, dr. Frank C.S. Anthony, ministro da Saúde da Guiana, dr. Francisco Alabi, ministro da Saúde de El Salvador, Juan Núñez Guadarrama, coordenador, México Salud- Hable Coalition, e dr. Jaime Urrego, vice-ministro de Saúde Pública da Colômbia.

Durante o diálogo, dr. Barbosa destacou algumas das conquistas da atenção primária nas Américas nas últimas décadas, incluindo o aumento da expectativa de vida, erradicação da transmissão endêmica do sarampo, rubéola e rubéola congênita, e redução da mortalidade infantil.

Apesar do progresso, baixos níveis de investimento, sistemas de saúde fragmentados e capacidade de resposta limitada no primeiro nível de atenção significam que as barreiras ao acesso à saúde permanecem, afetando desproporcionalmente os mais vulneráveis.

A pandemia da COVID-19 também “expôs, exacerbou e criou desafios estruturais do sistema de saúde” que aprofundaram ainda mais as desigualdades e afetaram a capacidade de resposta e os resultados no campo da saúde pública, disse o diretor.

“Aspiramos desenvolver e alcançar sistemas de saúde que tenham a capacidade de se preparar e responder efetivamente a uma emergência, manter as funções básicas quando ocorrer uma crise, reorganizar e transformar se as condições exigirem”, disse o Dr. Barbosa.

O diretor da OPAS também destacou que a expansão da atenção primária à saúde é fundamental para enfrentar a carga de doenças não transmissíveis (DNTs), especialmente porque 240 milhões de pessoas vivem atualmente com uma condição crônica nas Américas.

Para garantir o foco na atenção primária à saúde, dr. Barbosa instou os países a fortalecer a gestão das autoridades de saúde, a governança dos sistemas de saúde, melhorar o empoderamento social e desenvolver serviços de saúde integrados com foco na atenção primária.

“O papel de liderança das autoridades nacionais de Saúde é inegável”, acrescentou dr. Barbosa, agradecendo aos Ministros por participarem do diálogo.

Os países devem agora investir na “criação, fortalecimento e institucionalização de espaços de participação social onde as pessoas possam aprender, participar, se envolver e responsabilizar os líderes e sistemas de saúde para atender às necessidades coletivas”, acrescentou.

“Alcançar a saúde universal em nossa Região requer nosso esforço conjunto e colaboração. Da Organização Pan-Americana da Saúde reiteramos nosso compromisso de fornecer toda a nossa capacidade técnica para apoiar os Estados Membros na conquista desse objetivo.”


Citações dos Ministros da Saúde


Dr. Frank C.S. Anthony, ministro da Saúde da Guiana

“Reconhecemos que os cuidados de saúde primários são a base do nosso sistema de saúde e é por isso que enfatizamos o desenvolvimento dos cuidados de saúde primários, para dar acesso às pessoas, para garantir que as pessoas tenham uma gama de serviços disponíveis e o mais próximo possível de suas comunidades para que possam se beneficiar de todos esses serviços”.

Dr Nisia Trindade Lima, ministra da Saúde do Brasil

O Brasil não é diferente dos outros países da nossa região e do mundo, enfrentando questões como os desafios da saúde mental, os desafios da transição demográfica, desafios que remontam ao século XX e alguns novos, como o surgimento de novos doenças, doenças crônicas e doenças que podem ser eliminadas como problemas de saúde pública, como a tuberculose. Com a colaboração da OPAS certamente avançaremos nessas questões.

Dr. Francisco Alabi, ministro da Saúde de El Salvador

"Esta pandemia colocou muitos desafios para o mundo inteiro,https://elpais.com/america/ mas acima de tudo mostrou como os cuidados de saúde podem ser unificados, como o mundo pode se unir com um único objetivo - cuidar das populações e, especificamente, cuidar da saúde dos populações diante da adversidade”.

Dr. Jaime Urrego, vice-ministro de Saúde Pública da Colômbia

Acreditamos que a atenção primária à saúde, em todo o país, requer diversas transformações, inclusive a efetiva garantia do acesso. Embora tenhamos uma boa cobertura e apoio financeiro, milhões de pessoas continuam enfrentando barreiras no acesso à saúde.

Juan Núñez Guadarrama, coordenador de México Salud-Hable Coalition

“A saúde é uma parte inevitável do crescimento econômico e do desenvolvimento, e exercer o direito à saúde é crucial para poder exercer todos os outros direitos humanos