bireme saude americas site7 de outubro de 2017 – A diretora adjunta da Organização Pan-Americana da Saúde/Organização Mundial da Saúde (OPAS/OMS), Isabella Danel, apresentou nesta sexta-feira (6), na Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo (USP), o relatório Health in the Americas + 2017 (Saúde nas Américas + 2017, em português).

A publicação analisa tendências, desafios e condições de saúde na região. “Uma das tarefas mais importantes da OPAS tem sido a compilação e compartilhamento de informações para a tomada de decisão em todos os níveis de governo. Esta nova publicação foge do tradicional e muda paradigmas ao ser um espaço contínuo de monitoramento e dados atualizados. É resultado de um esforço coletivo de Estados Membros e de toda a equipe da OPAS. É um compromisso permanente para fortalecer a solidariedade entre nossa população”, afirmou a diretora adjunta.

Isabella Danel citou avanços na redução da mortalidade infantil e de casos de malária e oncocercose, entre outros. Mas destacou que ainda há inequidades em saúde que precisam ser enfrentadas, tanto entre os países das Américas quanto dentro dos próprios países. Ela também aproveitou para tirar dúvidas e responder a perguntas de professores e estudantes.

Durante o evento, o professor da USP Waldyr Antonio Jorge ressaltou a importância da análise e compartilhamento de dados para a saúde pública. “A OPAS trabalha para que nós que estamos na ponta, em um consultório, uma UPA (Unidade de Pronto Atendimento), uma unidade básica, hospital, saibamos o que temos que fazer e como fazer, para não vivermos numa situação de fragilidade”.

Já o diretor da Faculdade de Saúde Pública da USP, Victor Wünscg Filho, observou os laços históricos entre a universidade, a OPAS e o Centro Latino-Americano e do Caribe de Informação em Ciências da Saúde (BIREME). “A BIREME sempre nos apoiou na implantação de tecnologias de informação. A importância do trabalho que a instituição desenvolve é amplamente conhecida na América Latina e no Caribe por conta de sua base de dados. E a BIREME teve um papel extremamente importante no desenvolvimento e implementação da nossa base de periódicos, a Scielo. Nós queremos registrar nosso desejo de continuar a trabalhar com a OPAS e a BIREME para continuar a acabar com as desigualdade de saúde nas Américas”.

Segundo o diretor da BIREME, Diego Gonzalez, as alianças da instituição se baseiam no trabalho em rede. “Para nós, trabalhar junto com a Faculdade de Saúde Pública, onde há uma produção científica importante, é um verdadeiro luxo. Nós exportamos a experiência brasileira para os países da América Latina e Caribe. E é privilegiada a nossa localização no Brasil e, mais especificamente em São Paulo, para desenvolver tantos projetos em conjunto”.

Saúde nas Américas
Mais de 600 funcionários e especialistas participaram do processo de produção da publicação Health in the Americas + 2017, em colaboração com equipes dos Ministérios da Saúde. Na elaboração dos conteúdos, foram utilizados dados de fontes oficiais, nacionais e internacionais, bem como fontes informais.

Esta edição é a mais recente de uma longa série de relatórios similares produzidos pela OPAS/OMS nos últimos 61 anos. A nova versão inclui produtos complementares, como a plataforma interativa "My Health in the Americas", que permite adaptar as configurações para que cada usuário defina o que quer ler. Essa ferramenta será atualizada periodicamente com novos dados e conteúdos.

O relatório também apresenta podcasts e materiais específicos para pesquisadores, profissionais das áreas de informação e comunicação e tomadores de decisão. Na versão online, os capítulos expandidos podem ser acessados para cada tópico, além dos perfis detalhados e análises de cada um dos 52 países e territórios da região das Américas.