Diretora da OPAS informa líderes do PROSUR sobre fornecimento de vacinas

25 fev 2021
COVID-19 vaccine flasks

“Ainda estamos muito atrás de onde deveríamos estar como Região”, afirmou Carissa F. Etienne

Washington D.C., 25 de fevereiro de 2021 – A diretora da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Carissa F. Etienne, informou nesta quinta-feira (25) aos líderes do PROSUR, o Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América do Sul, sobre o fornecimento de vacinas contra a COVID-19 e avanços nas compras. “A OPAS compartilha de suas grandes preocupações com a equidade no acesso às vacinas, especialmente para os intermediários e países de baixa renda e continuaremos defendendo fortemente os países da América Latina e Caribe.” 

“Também reconheço o tremendo esforço dos países do PROSUR em assegurar o planejamento e a preparação para a introdução das vacinas contra a COVID-19 em seus respectivos países”, declarou Etienne. A reunião virtual do PROSUR contou com a participação de presidentes e líderes do Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai, Peru, Suriname e Uruguai.

A diretora da OPAS explicou que o acordo de abastecimento entre o Fundo Rotatório e o fabricante das vacinas, SK Bio, foi finalizado ontem (24) e que a OPAS progredirá “rapidamente com as estimativas de preços e pedidos de compra”.

“Aproveito esta oportunidade para chamar cada um de vocês, Excelências, a garantir que seu país cumpra os requisitos de preparação, aprovações de processo e transferência de fundos em tempo hábil”, acrescentou. "Apesar das medidas vigorosas que estão sendo tomadas para entregar as vacinas o mais rápido possível, ainda estamos muito atrasados onde deveríamos estar como Região. Só agindo em conjunto, em solidariedade, podemos garantir que a Região tenha acesso equitativo às vacinas. Nenhum país está seguro até que todos estejam seguros."

A OPAS está se preparando para entregar as primeiras vacinas contra a COVID-19 adquiridas para os países das Américas por meio do COVAX, o mecanismo global que trabalha para garantir o acesso equitativo às vacinas, assim que estiverem disponíveis.

O COVAX deve enviar cartas esta semana aos países participantes confirmando sua distribuição de vacinas e incluindo o número de doses que receberão. Também será explicado o processo de alocação, as etapas legais e regulatórias que os países devem tomar e as próximas etapas importantes da cadeia de suprimentos.

O Fundo Rotatório da OPAS tem liderado esforços regionais em nome dos países para comprar vacinas por meio do COVAX.

Incentivando o apoio à união como Região para atender às necessidades totais de vacinas, Etienne disse que “a OPAS alcançará nossos parceiros, instituições financeiras regionais e sub-regionais, entre outros e nossos Estados Membros...” A diretora da OPAS pediu o fortalecimento do Fundo Rotatório, “que fornece vacinas a países da América Latina e Caribe há quarenta anos e acumulou vasta experiência e conhecimento”.

Embora o fornecimento de vacinas para o primeiro e segundo trimestres de 2021 seja limitado, espera-se um aumento no fornecimento para o terceiro trimestre.

Etienne também reiterou seu chamado para que o acesso às vacinas nas Américas seja uma “prioridade global”. “Nossa região foi mais atingida pela pandemia do que qualquer outra e milhões continuam vulneráveis à infecção e à morte. O poder de salvar vidas das vacinas não deve ser um privilégio de poucos, mas um direito de todos - especialmente dos países em maior risco como os das Américas, que continua sendo o epicentro da pandemia.”

Os líderes do PROSUR emitiram um “Chamado ao fortalecimento e implementação efetiva do mecanismo COVAX, especialmente a Aliança Global para Vacinas e Imunização (Gavi) e a Organização Mundial da Saúde (OMS), com o objetivo de alcançar um maior acesso e mais rápido à vacina COVID-19, inclusive apoiando os países nas negociações com os laboratórios”.