OPAS promove a eliminação de mais de 30 doenças transmissíveis nas Américas até 2030

16 Out 2023
OPAS promove a eliminação de mais de 30 doenças transmissíveis nas Américas até 2030
16 Out 2023

Berlim, 15 de outubro de 2023 - Durante a Cúpula Mundial da Saúde, realizada em Berlim, o Diretor da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), Dr. Jarbas Barbosa, apresentou a estratégia da Organização destinada a eliminar mais de 30 doenças transmissíveis e condições relacionadas na região das Américas.

Em sua fala durante um evento no âmbito desta reunião global de saúde, Dr. Barbosa disse que a iniciativa da OPAS se baseia no "registro de sucesso da região na interrupção da transmissão de doenças perigosas", como a varíola e a poliomielite, e visa abordar ameaças evitáveis que “ninguém deveria temer hoje”, disse ele.

A Iniciativa de Eliminação proposta pela OPAS visa eliminar mais de 30 doenças transmissíveis e condições relacionadas até 2030. Centra-se, entre outros, na malária, no câncer do colo do útero e na transmissão do HIV de mãe para filho, mas também em doenças negligenciadas, doenças tropicais que afetam pessoas em situação vulnerável ou populações remotas na América Latina e no Caribe, como tracoma, filariose linfática e doença de Chagas.

Iniciativa da Eliminacão

“Temos ferramentas disponíveis e sabemos que a integração dessas ferramentas na atenção primária é fundamental para enfrentar essas doenças”, disse o Dr. Sylvain Aldighieri, Diretor do Departamento de Prevenção, Controle e Eliminação de Doenças Transmissíveis da OPAS. “Nos últimos três anos, os países da região têm trabalhado em conjunto para combater a pandemia e foram implementadas abordagens inovadoras para garantir a continuidade na prestação de serviços de saúde, e valiosas lições foram aprendidas”, acrescentou.

Durante o evento, os Estados Membros da OPAS demonstraram seu compromisso com a iniciativa da Organização, incluindo a Ministra da Saúde da Argentina, Carla Vizzoti, que apresentou os esforços de seu país para eliminar a hepatite C. Por sua vez, Ethel Maciel, Secretária de Vigilância em Saúde e Meio Ambiente da Brasil, falou sobre a estratégia do país para eliminar doenças no contexto dos determinantes sociais e do trabalho intersetorial. Os participantes também foram informados sobre os esforços de Antígua e Barbuda para eliminar o câncer do colo do útero. Da mesma forma, o CEO da UNITAID, Dr. Philippe Duneton, destacou o papel da inovação e o seu potencial para contribuir para os esforços anti-doenças.

O Diretor da OPAS enfatizou que o fundamental para o esforço de eliminação de doenças seria garantir que os países tenham acesso a ferramentas e inovações em saúde que salvem vidas, como por meio dos Fundos Rotativos Regionais da OPAS. “Garantir o acesso a uma ampla gama de vacinas, diagnósticos, medicamentos e tecnologias emergentes que temos à nossa disposição será um fator importante para deter as doenças transmissíveis”, explicou. Um dos objetivos da iniciativa, por exemplo, é atingir 90% de cobertura vacinal contra o HPV entre as meninas de 15 anos da região.

A iniciativa pretende também ter um impacto mais amplo nos sistemas regionais de saúde pública, em razão das profundas desigualdades e vulnerabilidades expostas pela pandemia da COVID-19. “Ao melhorar os mecanismos de abastecimento, prestação e diagnóstico, a Iniciativa de Eliminação será um motor crucial para fortalecer a resiliência e a preparação dos sistemas de saúde face a futuras pandemias”, enfatizou o Diretor da OPAS.

Iniciativa de Eliminação da OPAS

Em 2019, os Estados Membros da Organização Pan-Americana da Saúde aprovaram a Iniciativa para a Eliminação de Doenças: Uma Política para uma Abordagem Integrada e Sustentável às Doenças Transmissíveis nas Américas, comprometendo-se a eliminar mais de 30 doenças transmissíveis e condições relacionadas até 2030.

Embora a pandemia da COVID-19 tenha retardado os progressos da eliminação de doenças transmissíveis, foram implementadas inúmeras abordagens inovadoras para garantir a continuidade na prestação de serviços de saúde.

A iniciativa foi relançada em setembro de 2023, impulsionada pela experiência recente da pandemia, e funcionará em quatro áreas principais: reforço da integração de programas e o fortalecimento do primeiro nível de atendimento, o fortalecimento dos sistemas de vigilância e informação em saúde, a abordagem dos determinantes ambientais e sociais da saúde que promovem a transmissão e reforçar a governação, a supervisão e o financiamento para eliminar doenças evitáveis e tratáveis.